Mundo Novo


O PODER E A IGNORÂNCIA

Saudações amigo leitor, já faz algum tempo que não escrevo, pois a minha vida está meio tumultuada nos últimos dias, mas esta semana li um pensamento de uma grande personalidade, talvez umas das maiores mentes que este mundo já viu: Albert Einstein, ele disse certa vez que somente conhecia duas coisas infinitas: o universo e a ignorância humana, sendo que ele ainda tinha dúvidas sobre a primeira.

Ou seja, a ignorância humana seria infinita para o gênio da física e ao longo da vida e muitos de nós percebemos, que de todas as manifestações de ignorâncias uma das piores é o apego pelo poder. E é exatamente o poder um dos maiores desejos da maioria dos seres humanos. Poder e glória.

E alcançando este poder, a vaidade se expõe de forma grotesca, gerando violência, prepotência, arrogância, corrupção.

Sim o poder corrompe e transforma. E quanto mais ignorante, mais transformado o ser humano é pelo poder.

Não conseguindo perceber o quanto de bem poderá fazer por ter o poder nas mãos, muitos se perdem, expondo seus recalques e inseguranças reprimidas, pois adquirem uma pretensa "coragem" e assim mostram sua verdadeira face.

O mesmo poder que pode proibir pode permitir também. O mesmo poder que pode aprisionar pode libertar. O mesmo poder que humilha pode exaltar qualidades. O mesmo poder que pode fazer chorar pode fazer sorrir. Uma questão de clareza, uma questão de escolha pessoal.

Nos ambientes organizacionais é fácil perceber estas transformações em pessoas que ganham subitamente o poder e quanto mais ignorantes, mais fica claro que não percebem que a maior produtividade não virá pelo poder de ser líder, mas sim, pela motivação e ação dos seus liderados. E é aí que o carisma e consideração que antes existia por parte destes novos líderes devem ser trabalhados e aumentados e não, relegados ao segundo plano por conta de uma insana certeza de que "agora eu mando, agora é feito do jeito que quero".

Definitivamente o poder é um transformador de caráter e principalmente, revelador da alma humana, como descobrira Abraham Lincoln, quando disse há mais de um século: "quase todos os homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe o poder".
Segue outro pensamento para nossa reflexão, um grande abraço a todos.

Júlio César Moschetta da Silva

“Olhe para Deus e Ele olhará para você com muita atenção. Quando há ego, nós queremos que todos pensem que somos muito bons. Mas quando estamos com Deus, nós pensamos que todos são muito bons e que nada está faltando.” (Dadi Janki)


Júlio César Moschetta da Silva

Graduado em Engenharia Ambiental, especialista em Educação Ambiental e Gestão de Recursos Hídricos. Atuante em Conselhos Municipais em Caçador, Comitê da Bacia do Rio do Peixe e OnG Gato do Mato. Na coluna Mundo Novo Júlio escreve sobre assuntos ambientais, relacionando o tema com o desenvolvimento humano. Também aborda assuntos de caráter filosófico, abrindo discussão sobre a consciência humana.

julionatural@yahoo.com.br