Mundo Novo
Comentários da matéria Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
Atualizado em  |  01/01/2013 16:15
Perfil
Júlio César Moschetta da Silva
julionatural@yahoo.com.br

Graduado em Engenharia Ambiental, especialista em Educação Ambiental e Gestão de Recursos Hídricos. Atuante em Conselhos Municipais em Caçador, Comitê da Bacia do Rio do Peixe e OnG Gato do Mato. Na coluna Mundo Novo Júlio escreve sobre assuntos ambientais, relacionando o tema com o desenvolvimento humano. Também aborda assuntos de caráter filosófico, abrindo discussão sobre a consciência humana.

Você é uma pessoa Espiritualizada ou Religiosa?

A princípio parece que espiritualidade e religiosidade tem o mesmo significado, mas na realidade são palavras que exprimem coisas totalmente diferentes. Religiosidade está relacionada ao ato de seguir a risca a conduta proposta por uma determinada religião. Por exemplo: Ir todas as semanas na missa ou no culto, pagar o seu dízimo ou dar sua contribuição, participar de todos os eventos desenvolvidos pela sua religião, entre várias outras ações!

Neste sentido, a religiosidade está mais ligada as suas ações cotidianas, junto a sua religião ou seu grupo religioso e não exatamente ao seu estado de espírito e seu grau de desenvolvimento espiritual. A religiosidade está relacionada a algo  externo ao ser supremo; a uma coletividade de ideias e ações ritualísticas de um determinado grupo de indivíduos!

Quando falamos de espiritualidade, em momento algum estamos nos referindo à religião Espírita, você pode ser Espírita e não ter espiritualidade nenhuma! A espiritualidade pode ser desenvolvida independente da religião que você segue.

foto1
clique na foto para ampliar

A espiritualidade é, a meu ver, uma das coisas mais importantes que uma pessoa pode cultivar em vida. Esta palavra se refere, não ao rigor de uma religião, mas a um estado de consciência humana, onde uma pessoa não é apenas um dogma, mas sim uma centelha divina, sem viseiras e sem máscaras; algo puro e mais próximo de Deus!

No entanto, as duas palavras devem ser praticadas no nosso dia a dia, mesmo entendendo que a espiritualidade deveria ser a nossa busca final. Vejo que a religião é e será necessária ainda por muito tempo, objetivando a condução da consciência das grandes massas.  O ser humano ainda não entendeu a sua  real essência, a sua real capacidade. Nós ainda temos que usar das ritualísticas de uma religião para chegar mais próximos dessa grande verdade. Verdade essa, que o próprio mestre Jesus ensinou por muitas vezes “Somos todos filhos do PAI”, “Somos todos irmão em essência”, somos todos um!

Estamos no mundo e o nosso objetivo é a conscientização de Deus, sendo que esta conscientização não é uma percepção através dos sentidos corporais e sim uma percepção pelos sentidos da alma, que é o nosso ser interior, o nosso verdadeiro ser.

Diz Sai Baba: "você não precisa correr para cá e para lá. Não tenha a ilusão de que Deus reside em algum lugar e de que você tem que procurá-lo. Não procure Deus exteriormente, pois Deus está dentro de você".

Um grande abraço a todos e até a próxima.
Júlio César Moschetta da Silva


11/01/2017 19:33
Seis dicas de planejamento de metas para 2017
Leila Longo Romão
11/01/2017 19:31
A volta ao varejo personalizado de nossos avós
Leila Longo Romão
06/12/2016 17:34
O ciclo da vida
Márcio Roberto Goes
23/11/2016 15:48
Invista na decoração da loja para o Natal
Leila Longo Romão
04/11/2016 10:19
Morte e vida
Márcio Roberto Goes