Palavra Andante
Dicas Para Acessar um Portal TransDimensional
Comentários da matéria Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
Atualizado em  |  22/08/2013 11:52
Perfil
Rodrigo Espinosa Cabral
rodrigoec@gmail.com

Rodrigo Espinosa Cabral, brasileiro, vegetariano, gremista. Um pedaço de poeira cósmica que, às vezes, escreve. Palavra Andante, um passeio pelo mundo das letras.

Embaixo das cobertas há um país  verdadeiramente tropical. Térmico. Caliente. Um país que sonha e seus sonhos se realizam dentro do próprio sonho.

Entre a superfície reta do colchão e a cordilheira de mantas que cobrem o corpo há uma sociedade amorosa e quase sustentável. Pode até haver alguma poluição sonora, mas ela é logo sacudida e repreendida. Seus cidadãos reagem e a atmosfera quente das cobertas absorve os problemas.

foto1
clique na foto para ampliar

Os habitantes deste país estão no lucro. Ninguém paga imposto e nem é obrigado a votar. Seu relevo é seguro e o trânsito geralmente é tranquilo.

Para os que nele residem solitários, este país vai, aos poucos, acumulando o calor e gerando conforto. É uma espécie de útero retangular, quentinho e escuro, que nos protege e nos renova.

Há Estados compostos por duas pessoas sob o mesmo teto de algodão. Nossa equipe de reportagem não obteve autorização para mostrar em detalhes o que acontece ali. Mas há relatos de que, para os que dividem este país com outra pessoa, o calor da população vai se somando, emanando, navegando para além de si e aportando no outro. No breve espaço de estar ali, na fronteira dos corpos. É o inverno invertido. Um verão a parte, na madrugada fria do mundo.

Independente da densidade demográfica, o povo deste país poligonal tem em si a possibilidade de acessar um portal transdimensional. Quando fecham os olhos, seus compatriotas migram para sonhos distantes, outras terras, tempos longínquos, situações surreais, aventuras perigosas, sensuais e enigmáticas... Contudo, em algum momento, voltam ao aeroporto seguro da cama.

Diz a lenda que o guitarrista Keith Richards recebeu os acordes de "Satisfaction" durante o sonho e pôde registrar o esqueleto da música, graças a um pequeno gravador que deixara ao lado da cama. A música alçou o Stones à fama mundial. O químico August Kekulé, cansado de estudar a estrutura dos átomos, adormeceu em frente à lareira. No sonho, sua mente lhe mostrou os átomos dançando em movimentos de cobra que mordia a própria cauda. A visão foi fundamental para que o cientista elaborasse a estrutura cíclica do benzeno. Há inúmeros outros casos da importância da interface onírica em nossas vidas.

Ainda não temos tecnologia para entrar no mundo dos sonhos com câmeras e internet WiFi para trazer ou transmitir suas relíquias para a nossa realidade em tempo real, mas #fica a dica: deixe papel e caneta por perto da cama. Ou um gravador (o celular que grava áudio e vídeo...). Quem sabe você consegue registrar fragmentos de algo importante para a sua vida ou para a sociedade aqui fora. Boa viagem.

Rodrigo Espinosa Cabral


03/07/2017 13:46
Hora da Razão
Leila Longo Romão
27/06/2017 09:44
Seis motivos para investir em programas de fidelidade
Leila Longo Romão
12/06/2017 12:02
Líderes multitarefas trazem maior retorno para o varejo
Leila Longo Romão
30/05/2017 09:52
7 fatores que impulsionam o sucesso de um negócio
Leila Longo Romão