0,0 mm
3,0°C
 
Amor & Sexo
Não é fácil chegar lá!
Comentários da matéria Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
Atualizado em  |  30/08/2013 18:25
Perfil
Lidiane Cattani
cattanirabello@hotmail.com

Depois de conversas e conselhos sobre relacionamentos amorosos à amigas, Lidiane passou a publicar essas histórias e opiniões. Os artigos deram tão certo que já são três anos desse trabalho. A participação do leitor e as pautas sobre o assunto são muitas, o que garante boas histórias. A popularidade da coluna se justifica pelo fato dos leitores se identificarem com as situações e pela forma descontraída como a autora conduz as respostas. A maioria dos artigos são apimentados, o que aguça a curiosidade do leitor.

“Boa noite, Lidiane. Não perco um final de semana de ver a Revista IDEIA. Se o jornal não chega corro para a internet acessar o caçador.net para ver se tem algum post novo seu. Seu trabalho é um vício! Me identifico com todas as histórias. Não é de hoje que morria de vontade de escrever para você. Não só para falar do meu apreço por tudo que faz, mas para dividir com você e seus leitores a minha história que, acredito, não ser diferente do drama vivido por muitas mulheres da minha geração. Lidiane, tenho 40 e uns anos. Fui casada durante 15 anos, faz cinco que me separei e mais cinco que estou vivendo com meu segundo marido. Amiga, como você sou uma mulher bem vivida. Ao longo dos meus 40 e pouco anos tive algumas experiências amorosas e em todas elas hoje, cheguei a conclusão de que é muito difícil viver com um parceiro, e não é nem o dia-a-dia, porque esse tiramos de letra. Sim, durante o dia inteiro nos envolvemos com uma série de compromissos, entre eles: trabalho, filhos, casa, refeições, amigos, entre outros. E isso tudo é muito bom, inclusive os momentos que estou com meu marido. Que fique claro, não estou falando de cama! Meu marido é um ótimo companheiro, é um parceiro nota 10. Temos muitas afinidades, adoro sua companhia.

Ele faz tudo para me agradar. É romântico, presente, bom pai, bom marido, me ajuda muito com as despesas da casa e da família, não chega em casa tarde, enfim, é o homem que toda mulher gostaria de ter. Você deve estar se perguntando: Aonde está o problema, se o meu marido é perfeito? O problema está na cama, sim, na cama. Ao longo desses cinco anos que vivemos juntos, foram poucos os dias que não tivemos relações sexuais. Quase todo dia transamos, pelo menos, uma vez no dia. Mais uma vez você deve estar perguntando: Aonde está o problema? Lidi, o problema está justamente aí. Estou passando por uma fase que já dura mais de quatro anos. Em todo esse tempo não sei o que é chegar ao orgasmo com meu marido. Não lembro qual foi a última vez. Meu marido algumas vezes até se esforça, mas nada. Nas outras vezes é como um coelho, mal me encosta e já se satisfaz. Vou te confessar: muitas vezes até fico ali torcendo para que goze rápido, assim me livro dessa obrigação rapidinho. Algumas vezes no mês eu até tenho as minhas vontades, mas, mesmo assim, tenho que fingir orgasmo. Quando quero mais, daí o meu marido que não espera. O recurso é eu dar o meu jeitinho escondida, me tocando. Sabe, Lidi, com meu ex-marido também foi assim, com meus outros relacionamentos de curta duração também foram assim. No começo é um fogo só! Não precisa muito, é só se encostar que o negócio pega fogo, mas com o tempo, o sexo esfria e o consolo é a boa convivência. No meu primeiro casamento sai bem frustrada porque além do meu marido, com o passar dos longos 15 anos ter se tornado um coelho (ou seja, gozava em alguns minutinhos), ele vivia me traindo.

Naquela época eu achava que eu era o problema, que eu não era boa de cama, que eu era fria, mas os anos foram passando, tive outras experiências sexuais e assim pude comprovar que nenhuma relação sexual é diferente da outra. Todas têm um ciclo de vida. E todas estão juradas para morrer, infelizmente. Lidi, eu me sinto nova para já estar no fim da minha vida sexual ativa e satisfatória. Será que vou ter que passar o resto dos meus dias tendo que fingir orgasmo, tendo que torcer para que meu marido goze rápido, tendo que me satisfazer sozinha? Ou será que vou ter que viver um eterno recomeço, sim, porque todo o começo de relação é maravilhoso e prazeroso? Amo meu marido, mas gostaria que nossa relação na cama voltasse a pegar fogo, pelo menos, de vez em quando. Até não me importaria de não transar todos os dias, várias vezes ao dia, desde que quando resolvêssemos ter algumas horas de prazer, fosse muito intensa, como vejo as pegadas do Michel e da Patrícia, na novela Amor à vida. Nossa! Eles passam um tesão, um desejo muito grande um pelo outro, e olha que já estão saindo junto há um tempão. E mesmo sim, sempre que se enroscam aquilo pega fogo. Queria muito que meu marido voltasse a ter aquela pegada de antes. Queria não precisar ficar desejando o sexo dos outros que vejo na televisão. Como gostaria de voltar a me sentir mulher e olha que não sou de se jogar fora! Muitos homens gostariam de fazer comigo o que meu marido não tem feito. Mas, o respeito! Ele é muito bom para mim. Não quero magoá-lo e humilha-lo perante esses homens. Lidi, gostaria muito de viver feliz plenamente com meu marido. Ele é maravilhoso! O que está faltando para gente é apenas resgatar o desejo. Apesar da minha longa experiência, não estou sabendo como fazer isso? O que você me diria? Juliana – Berger

foto1
clique na foto para ampliar

Olá Juliana. Muito obrigada pelo e-mail. Adorei o tema. Você tem razão quando diz que muitas mulheres passam por esse mesmo drama. Muitas, mas muitas mulheres já me confessaram sofrer esse mesmo dilema. Amiga, é sério! Nem uma, nem duas, sempre que converso sobre sexo com alguma mulher, pelo menos uma está passando por essa situação. Como já contei por aqui, eu mesma já passei por isso. E, só passei a pensar COMO resolver esse problema muito tempo depois da minha separação. Apesar te não ter sido uma adolescente tão inexperiente, hoje, olhando para traz, acho que eu era totalmente inexperiente para viver um casamento. Na verdade não existe um manual de instruções para aprendermos a lidar com todas as situações, e com o sexo, menos ainda. Somente hoje, que escrevo sobre sexo, posso dizer que passei a entender um pouquinho mais do que outras mulheres sobre o assunto. MASSSS, pelo fato que acabo tendo que me informar sobre o tema para poder ter cada vez mais embasamento para poder dar respostas inteligentes e sensatas.

Meninas, não pensem que sou o bicho na cama, sou e ajo normalmente como qualquer outra mulher, com a diferença que falo abertamente sobre o tema com meu público, o que faz com que eu acabe expondo a forma como penso sobre o assunto. Só isso! Sempre digo, que sexo bom é aquele feito com quem a gente gosta, com quem a gente ama. Já fiz sexo, pelo sexo. Mas hoje para mim não tem valor nenhum. Que bom que com o passar o tempo a gente amadurece e começa a dar mais valor para o próprio corpo! Amigas, entre transar com um homem desejável que está disponível na minha frente e ficar sem sexo, pode ter certeza, que escolho a segunda opção.

Mas Juliana, todas as vezes que fui questiona sobre esse assunto, fiquei pensativa antes de responder, porque é uma situação delicada. O que acho que pode dar certo é o DIÁLOGO. Eu lhe pergunto: você já conversou com seu marido sobre tudo isso que você me confessou? Aposto que NÃO. Normalmente conversamos com todo mundo, MENOS com a pessoa mais interessada no assunto. Vai me dizer que não é verdade?

Todas as mulheres que conversei sobre isso não falam sobre sexo com seus parceiros. Eu lhe pergunto: Por que muitas mulheres não gostam de sexo oral? RESPONDA. Não é porque simplesmente não gosta. É porque seu parceiro não sabe fazer. SIMPLES! Faça um teste. Quando seu parceiro resolver explorar a sua região, que tal dar as instruções de como fazer? Digo, aponte o local e diga qual a intensidade do movimento. O cara até se esforça, mas não podemos querer que eles saibam tudo. Não é mesmo? Aposto que quando conseguir ver estrelas dessa forma, vai gostar tanto de sexo oral, quanto DELES. Porque vamos combinar, os homens ADORAM sexo oral!

Juliana, abra o jogo com seu marido. Diga para ele o que está lhe tirando o sono. Sei muito bem que com o passar do tempo o sexo vai se tornando uma rotina e não existe o mesmo desejo do início da relação. Olhe pelo lado bom, quanto mais o tempo passa, mas conhecemos o que dá prazer um para o outro. O que está faltando apenas são essas zonas VOLTAREM a serem exploradas. Aposto que as preliminares não existem mais entre vocês. Acredito que vocês apenas deitam na cama, você vira o bumbum para seu marido e ele que se satisfaça. Acertei?

Amiga, vocês têm que resgatar a fantasia que existe dentro da cabeça de vocês! Resgatar o desejo. E se a imaginação não ajuda mais, use algumas artimanhas para resgatar o tesão, o desejo. Sei que o desejo, o tesão, a fantasia está na cabeça. Não é SOMENTE um produto erótico que vai reviver o  FALECIDO`, mas toda iniciativa é válida. Amiga, cadê o espumantezinho? Cadê o beijo na boca? Cadê a lingerie sensual? Cadê o perfuminho? Comecem a exercitar esse desejo. E isso tudo começa com as preliminares. O RESTO? O resto é conseqüência. Juh, quanto mais o homem é estimulado, mais ele consegue manter a ereção. O mesmo acontece com o corpo da mulher. Depois é só aproveitar! (srsrsr)

Amiga, tem `n` produtinhos eróticos que ajudam você chegar lá. Vá até a um sex shop conhecê-los. Não tenha vergonha! Tenho amigas que têm dificuldade de chegar ao orgasmo e, mesmo sendo estimulado pelo parceiro não conseguem chegam lá. Muitas delas, mesmo na frente do parceiro, se tocam com a mão ou utilizando os `anõezinhos` ou `gigantes` da vida. (ssrsr) Seus parceiros não vêem problema nenhum, desde que ela se satisfaça. Meninas, vamos combinar! Não tem nada melhor do que sentir prazer, melhor, chegar ao êxtase. Duvido a mulher que não goste de chegar lá! Por isso vale o esforça para tentar ver estrelas. SIM, porque não é fácil chegar lá! Eu sei muito bem disso.

Por isso rapazes, nunca se esqueçam: o cara bom de cama é aquele que primeiro satisfaz a mulher e DEPOIS, só depois vai pensar em querer sair com outra ou outras mulheres. Sempre digo, faça o dever de casa. Somente se você (homem ou mulher) não estiver dando assistência para seu parceiro (a) é que ele (a) vai buscar suprir essa falta fora de casa. Pense nisso!

Com carinho,
Lidiane Cattani Rabello - jornalista


03/07/2017 13:46
Hora da Razão
Leila Longo Romão
27/06/2017 09:44
Seis motivos para investir em programas de fidelidade
Leila Longo Romão
12/06/2017 12:02
Líderes multitarefas trazem maior retorno para o varejo
Leila Longo Romão
30/05/2017 09:52
7 fatores que impulsionam o sucesso de um negócio
Leila Longo Romão
16/05/2017 22:45
Como desenvolver habilidades de liderança
Leila Longo Romão