Mundo Novo

Conflitos familiares – o porquê da intolerância


Este é um tema muito presente nas famílias atuais e torna-se ainda mais visível nestas épocas comemorativas, quando toda a família se reúne e as diferenças veem à tona.

Penso que os principais fatores dos conflitos familiares sejam a inveja em primeiro lugar, sendo atrelada a esta, a mágoa e o medo; entre outros sentimentos negativos que corrompem a humanidade e o coração das pessoas.

Há cura para os conflitos familiares? Em um contexto geral, acredito que a principal solução de qualquer conflito seja atuar sobre a causa deste. Se a causa for a inveja, primeiramente esta deve ser reconhecida, mas sendo este ou qualquer outro sentimento negativo identificado dentro do vínculo familiar, o principal remédio é sempre o diálogo.  Quando eu falo em diálogo não me refiro somente que as partes conflitantes devam estar juntas e discutir sobre os motivos do conflito, mas acima de tudo, estas devem abrir seus corações e encontrar os sentimentos construtivos que também estão presentes neste contexto familiar.

Na maior parte das vezes não vale relembrar o motivo ou motivos que levaram a atual discórdia. A lembrança da mágoa, normalmente só gera mais mágoas. A expressão “colocar uma pedra na questão” deve ser exercida!

De qualquer forma, cada caso é um caso! Devemos sim, extrair o ingrediente principal da geração dos conflitos familiares, a ignorância. A falta de autoconhecimento e de visão espiritual é a raiz que sustenta todos os sentimentos negativos dentro de uma família; talvez neste sentido, rezar em família é uma ótima dica.

Fico por aqui, até mesmo pois este assunto pode gerar um discurso enorme e não é meu objetivo junto à esta coluna, mas sim, pretendo sempre colocar aqui pensamentos simples e positivos, que gerem uma boa reflexão entre os leitores.

Desejo um feliz ano novo para todos, com muita luz em seus corações.

Julio Cesar Moschetta da Silva

 


Júlio César Moschetta da Silva

Graduado em Engenharia Ambiental, especialista em Educação Ambiental e Gestão de Recursos Hídricos. Atuante em Conselhos Municipais em Caçador, Comitê da Bacia do Rio do Peixe e OnG Gato do Mato. Na coluna Mundo Novo Júlio escreve sobre assuntos ambientais, relacionando o tema com o desenvolvimento humano. Também aborda assuntos de caráter filosófico, abrindo discussão sobre a consciência humana.

julionatural@yahoo.com.br