Mundo Novo
Conflitos familiares – o porquê da intolerância
Comentários da matéria Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
Atualizado em  |  05/01/2015 10:03
Perfil
Júlio César Moschetta da Silva
julionatural@yahoo.com.br

Graduado em Engenharia Ambiental, especialista em Educação Ambiental e Gestão de Recursos Hídricos. Atuante em Conselhos Municipais em Caçador, Comitê da Bacia do Rio do Peixe e OnG Gato do Mato. Na coluna Mundo Novo Júlio escreve sobre assuntos ambientais, relacionando o tema com o desenvolvimento humano. Também aborda assuntos de caráter filosófico, abrindo discussão sobre a consciência humana.

Este é um tema muito presente nas famílias atuais e torna-se ainda mais visível nestas épocas comemorativas, quando toda a família se reúne e as diferenças veem à tona.

Penso que os principais fatores dos conflitos familiares sejam a inveja em primeiro lugar, sendo atrelada a esta, a mágoa e o medo; entre outros sentimentos negativos que corrompem a humanidade e o coração das pessoas.

Há cura para os conflitos familiares? Em um contexto geral, acredito que a principal solução de qualquer conflito seja atuar sobre a causa deste. Se a causa for a inveja, primeiramente esta deve ser reconhecida, mas sendo este ou qualquer outro sentimento negativo identificado dentro do vínculo familiar, o principal remédio é sempre o diálogo.  Quando eu falo em diálogo não me refiro somente que as partes conflitantes devam estar juntas e discutir sobre os motivos do conflito, mas acima de tudo, estas devem abrir seus corações e encontrar os sentimentos construtivos que também estão presentes neste contexto familiar.

Na maior parte das vezes não vale relembrar o motivo ou motivos que levaram a atual discórdia. A lembrança da mágoa, normalmente só gera mais mágoas. A expressão “colocar uma pedra na questão” deve ser exercida!

De qualquer forma, cada caso é um caso! Devemos sim, extrair o ingrediente principal da geração dos conflitos familiares, a ignorância. A falta de autoconhecimento e de visão espiritual é a raiz que sustenta todos os sentimentos negativos dentro de uma família; talvez neste sentido, rezar em família é uma ótima dica.

Fico por aqui, até mesmo pois este assunto pode gerar um discurso enorme e não é meu objetivo junto à esta coluna, mas sim, pretendo sempre colocar aqui pensamentos simples e positivos, que gerem uma boa reflexão entre os leitores.

Desejo um feliz ano novo para todos, com muita luz em seus corações.

Julio Cesar Moschetta da Silva

 


11/01/2017 19:33
Seis dicas de planejamento de metas para 2017
Leila Longo Romão
11/01/2017 19:31
A volta ao varejo personalizado de nossos avós
Leila Longo Romão
06/12/2016 17:34
O ciclo da vida
Márcio Roberto Goes
23/11/2016 15:48
Invista na decoração da loja para o Natal
Leila Longo Romão
04/11/2016 10:19
Morte e vida
Márcio Roberto Goes