Termômetro do Varejo

A gestão de caixa e a superação da crise


A economia global passa por um período desafiador e os problemas enfrentados pelos países da Europa, junto ao crescimento menor da China, têm afetado duramente o Brasil, que sofre também com problemas políticos internos e uma economia paralisada. Nem mesmo a recuperação dos EUA foi suficiente para devolver a confiança aos investidores e alavancar o crescimento dos mercados globais.

As empresas são amplamente afetadas pelo cenário de incerteza e instabilidade pelo qual passamos. No Brasil, a crise econômica tem reduzido o poder de compra da população, com reflexos negativos no varejo e na produção industrial.

Em momentos como esse, reforços dos controles financeiros ganham importância nas companhias, cada vez mais preocupadas em reduzir o impacto da crise e garantir os bons resultados de seus negócios. A tecnologia é uma aliada primordial nesse processo.

O mercado oferece, hoje, diversas soluções que possibilitam a melhoria do controle financeiro de áreas estratégicas das empresas. Os softwares de gestão de tesouraria são um bom exemplo disso. Ao automatizar atividades operacionais como fluxo e fechamento de caixa, conciliação financeira automática e organização das transferências entre contas correntes, essas ferramentas reduzem significativamente as chances de erro humano a que diversos processos estão sujeitos quando são realizados manualmente.

Muitas companhias que não digitalizaram seu departamento de finanças ainda fazem esse tipo de controle por meio de planilhas Excel, com o risco de deslizes que, mesmo sendo aparentemente pequenos e pontuais, têm grande impacto nos resultados finais.

As empresas que atuam no segmento do varejo são especialmente beneficiadas pelas funcionalidades oferecidas pelos softwares de gestão de tesouraria. De posse de informações claras e confiáveis sobre sua situação financeira, as empresas conseguem tornar o processo de tomada de decisão mais assertivo.

O segmento do varejo encontra-se em uma situação especialmente delicada, pois sofre forte impacto nos custos de insumos e tem se deparado com clientes que consomem em níveis cada vez menores. Se em períodos de bom desempenho dos mercados a gestão eficiente do caixa já é um item básico na administração de qualquer empresa, em tempos de crise ela se torna uma necessidade central de todas as companhias que esperam sobreviver à crise e saírem fortalecidas dela.

Fonte: Portal No Varejo


Leila Longo Romão

Graduada em Administração, com pós-graduação em Marketing e Vendas. Iniciou sua vida profissional como bancária do antigo Bamerindus, também atuou como professora e desde 1991 é empresária do ramo de confecções, na área industrial e lojista. Foi presidente da CDL Caçador durante quatro anos e atualmente é presidente distrital da FCDL/SC. A coluna Termômetro do Varejo traz análises de pesquisas do setor, além de orientação para os empresários lojistas, comerciantes e comerciários em geral.

leilaromao@conection.com.br