Crônicas
Tudo é aprendível
Comentários da matéria Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
Atualizado em  |  02/03/2017 17:06
Perfil
Márcio Roberto Goes
marciogrm@yahoo.com.br

Professor de Língua Portuguesa, língua Espanhola e suas respectivas literaturas, efetivo na rede estadual de ensino de Santa Catarina, graduado em Letras pela Unc, antigo campus de Caçador e especialista em análise e produção textual pela FAVEST. Escritor, palestrante, diretor artístico e locutor da Web rádio Ativa Caçador. Membro da Academia Caçadorense de Letras e Artes.

Penso que todas as profissões devem ser valorizadas. Quando se contrata um serviço, o valor pago deve ser justo, de acordo com a experiência, preparação e investimento feitos pelo profissional que o oferece… Existem muitas empresas sérias e profissionais autônomos igualmente sérios no ramo da construção civil. A eles meu respeito e admiração como profissionais e, principalmente, como seres humanos, porém, há algum tempo resolvi não contratar mão de obra para construir minha residência oficial… Como sempre falo: Tudo é aprendível… Tomei então a decisão de aprender fazendo, usando este que vos escreve como cobaia…

Confesso que não comecei do zero, pois aprendi muito sobre carpintaria com meu falecido pai que me deixou uma herança valiosa: um cerrote, um martelo e um esquadro, que me acompanham no cinturão em cada passo da edificação de minha residência oficial… Porém, muitas coisas, tenho que aprender… Sorte a minha que tenho amigos engenheiros, pedreiros, eletricistas e encanadores que respondem prontamente a cada dúvida que aparece no cotidiano da obra…

Na verdade, trata-se de uma reforma e ampliação: Para tanto, precisei dar uma de pedreiro e erguer, do zero, um banheiro. Seria simples se o fizesse “a facão”, mas preferi seguir os padrões corretos, o que deve ter dado um certo incômodo aos profissionais que, constantemente procuro para esclarecer dúvidas, além de buscar tutoriais na Internet…

Botar a mão na massa é uma experiência muito interessante. Descobrir a quantidade e o ponto certo de cimento, areia, pedra, etc. Não tenho a experiência e a técnica de quem trabalha com isso dia a dia, mas o fato de descobrir, de vagarinho, como se faz, me traz grande satisfação, alegria, sem falar no detalhe clínico, pois descobri no trabalho manual, um eficiente fator para diminuir o estresse…

Lembro, constantemente dos ensinamentos de meu pai, dos conselhos de minha mãe… Optei pela casa de madeira, simplesmente porque passei minha infância e adolescência numa e o fato de estar construindo com tábua bruta me traz a nostalgia de reviver bons momentos que só a casa de madeira pode proporcionar…

Pode não ter o luxo de uma casa moderna de alvenaria, não fica pronta em quatro meses como aquelas financiadas, pois estou construindo conforme entra a verba, posso não ter a comodidade de receber a chave na mão sem me preocupar com o restante, pode não ser perfeita, mas é a minha casa, construída pelas minhas mãos com a ajuda de pessoas generosas ao meu redor… Ela tem a minha cara, o meu jeito, pois cada detalhe está sendo programado para abrigar o protagonista da minha vida…

Tenho certeza que não é a casa dos sonhos de muitos, mas é a minha casa dos sonhos… É a minha canela que foi ralada nos caibros depois de pisar em falso, é o meu dedão que está com bolhas de sangue resultadas de marteladas sem mira, são as minhas mãos que adquiriram calos pelos movimentos repetidos, foram os meus ombros que avermelharam, depois de esquecer o protetor solar ao colocar as telhas uma a uma… Enfim, é a minha obra... Estou presente cem por cento do tempo em busca de um resultado que, a cada pequeno avanço, considero uma vitória…

Muitos acertos ainda devem ser feitos: esquadro e prumo nem sempre exatos, nível conferido constantemente, mesmo assim ainda escapando deste olhar astigmático e ceratocônico…

É a minha casa que, além de ser meu lar, é também um objeto de pesquisa, pois tudo é aprendível…

Márcio Roberto Goes
www.marciogoes.com.br
www.radioativacacador.com.br


07/04/2017 10:09
Cinco técnicas para alavancar o consumo em sua loja
Leila Longo Romão
07/04/2017 10:07
O errado é o outro
Márcio Roberto Goes
28/03/2017 10:22
Afinal, gerente precisa ser vendedor?
Leila Longo Romão
02/03/2017 14:52
Conheça 16 tendências para o atendimento no varejo
Leila Longo Romão
21/02/2017 11:06
A vida é massa!
Márcio Roberto Goes