Toni Corrêa

A extinção da ADR de Caçador


Escrevo, amigos e amigas, para falar um pouco sobre esta "bomba" que caiu sobre Caçador e região, que é a notícia de extinção de 15 Agências de Desenvolvimento Regional (ADR) em todo o estado, dentre elas a de Caçador.

Estas ações, a extinção da ADR e consequentemente de cerca de 200 cargos comissionados no Estado, é um mote para justificar ações de gestão e até possivelmente uma candidatura a governador.

Já faz algum tempo que me dedico a olhar os discursos do governador Eduardo Pinho Moreira. Tem falado em austeridade, foco na segurança pública e na saúde... discurso de candidato, na minha opinião.

Agora, o fechamento da ADR de Caçador pode atingir o único parlamentar do Alto Vale do Rio do Peixe, pelo MDB, que é o deputado estadual Valdir Cobalchini. E mais, penso que vai acirrar a briga com as lideranças da região de Videira, pelo comando daquela ADR, que deve receber os municípios da extinta.

Mas acho que o governador "tira de letra" esta briga.

Vai tentar se candidatar. O problema é que o MDB não aceita Merísio e o PSD não aceita Mariani e Moreira.

Se o prefeito de Joinville, Udo Dohler, vier a se desincompatibilizar, de repente, é o candidato do MDB e em torno dele, pode ser formar uma nova tríplice.


Toni Corrêa

Bacharel em Secretariado Executivo Bilíngue, Mestre em Ciências da Educação, atua na área da comunicação desde 1988, com longas passagens pelo rádio, jornal e portal de notícias. É também escritor, cerimonialista e palestrante. Sua coluna traz informações sobre os bastidores da política local, regional e nacional, além de economia e assuntos gerais, que interessam principalmente a Caçador e região.

tonicorrea@gmail.com