0,0 mm
12,9°C
 
Retrospectiva 2016
Saulo se elege prefeito e Câmara tem 70% de renovação
Confira as principais notícias que marcaram a política em 2016
Comentários da matéria Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
Caçador Online  |  30/12/2016 16:16

No mesmo mês o grupo tático da PM de Caçador foi acionado para conter um tumulto na Câmara Municipal de Calmon durante uma votação que acabou adiada.

Dia três de março: Saulo Sperotto tem os direitos políticos reestabelecidos e está apto para qualquer pleito.

Em meio à crise, os vereadores de Lebon Régis dão exemplo e reduzem o próprio salário em 20%. O presidente do Legislativo apontou economia de R$ 70 mil por ano e desafiou o prefeito a fazer o mesmo.

Flavinho oficializa a mudança de partido. Filiado ao PT desde 2007, sendo o mais votado por este partido em 2012, Flávio Henrique dos Santos assina ficha de filiação no PMDB.

Em abril, o deputado estadual Valdir Cobalchini estreou em plenário como líder do PMDB na Assembleia Legislativa.

Nova encrenca na justiça. Saulo Sperotto é condenado a 2 anos de reclusão. A pena foi por causa do pagamento de um muro que acabou não sendo construído enquanto era prefeito.

O então ex-vereador Rubiano Schmitz assume a presidência municipal do PSD.

Em junho, o TJSC manteve decisão que suspendeu os direitos políticos do ex-prefeito de Calmon, João Batista de Geroni, por três anos. A punição foi por ato ímprobo relacionado à compra de votos institucionalizada em período eleitoral.

 

Corrida eleitoral

Em agosto, o Partido dos Trabalhadores (PT) anunciou o rompimento com a atual gestão de Beto Comazzetto e os secretários petistas deixaram os cargos. Na disputa eleitoral, o PT de Caçador teve candidatos apenas a vereador, porém nenhum conseguiu se eleger.

Já em Calmon, a atual prefeita Ivone Mazutti De Geroni anuncia o filho Jaber como candidato a vice da sua tentativa à reeleição.

Assis Pereira e Osmar Barcaro, candidatos a prefeito e vice, foram os primeiros a registrar a candidatura em Caçador.

Para as eleições 2016, foram registradas quatro candidaturas a prefeito e 160 a vereador em Caçador. Houve 11 pedidos de impugnação.

Em setembro, a Justiça Eleitoral defere 82 candidaturas a vereador e indefere quatro, entre elas a de Osmar Barcaro, candidato a vice-prefeito.

O prefeito de Lebon Régis é condenado por improbidade administrativa. Segundo a decisão, houve uma troca de favores entre ele e empresas gráficas que ajudaram na campanha.

A Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Caçador realizou um encontro com os candidatos a prefeito para ouvir as propostas.

Dominguinhos é liberado para concorrer ao cargo de vereador nas eleições de 2016. A decisão foi divulgada pelo advogado que diz que houve um problema burocrático que acabou resolvido.

Um mês antes das eleições, Saulo e Alencar, candidatos a prefeito, também tiveram a candidatura confirmada pelo TRE. “Volto a frisar que nunca perdi os meus direitos políticos”, disse Saulo.

Em 2016, nenhuma pesquisa eleitoral foi registrada em Caçador.

 

Sobre o dia 12 de outubro

Todos os candidatos à Prefeitura votam pela manhã no domingo 12 de outubro. Mais de 51 mil eleitores estavam aptos a exercer o seu direito de voto.

Algumas pequenas alterações foram registradas no dia de votação, como a filha de uma candidata que foi flagrada fazendo boca de urna no Martello.

O resultado dos vereadores eleitos em Caçador saiu no início da noite. A renovação na Câmara passou dos 70%. Veja quem são os vereadores eleitos para 2017/2020.

Saulo Sperotto é eleito prefeito com 16 mil votos de diferença do segundo colocado, o atual prefeito. Veja também quem foram os prefeitos eleitos na região.

Saulo foi o mais votado em 25 bairros, e Beto em apenas dois, conforme apuração feita pelo nosso portal.

Em contrapartida, Beto Comazzetto foi o que mais gastou na campanha política, conforme números da prestação de contas disponível no Tribunal Superior Eleitoral.

Dos 51.645 eleitores aptos a votar em Caçador, 9.358 não compareceram às urnas no dia 2 de outubro. O município registrou a 9ª maior abstenção de SC, com índice de 18,12%

 

Como foi a pós-eleição

A secretária de Saúde Roselaine Périco deixou o cargo no dia 7 de novembro. O motivo alegado é discordância de atos da administração municipal. No dia seguinte, a Prefeitura envia nota dizendo que foi por motivos pessoais.

Por fim, o ano eleitoral é encerrado com a diplomação dos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores eleitos em Caçador, Macieira, Calmon e Rio das Antas.

Comentários (0)
 
Deixe seu comentário
Os comentários não representam a opinião do Portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Comentários com ofensas pessoais, publicitários, de cunho político e palavras de baixo calão serão excluídos.
* Identificação:
* Comentário:
 
 
Pena severa - 23/06/2017 18:09
Carlos Correa é condenado a 63 anos de prisão
Júri popular foi marcado por momentos de comoção de amigos e familiares de Josué
Saúde - 23/06/2017 16:55
Meninos também podem se vacinar contra HPV
Garotos de 12 a 13 anos podem procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima
Universidade - 23/06/2017 16:50
Bolsa de pós-graduação com recursos do FUMDES na UNIARP
O curso terá a concessão de bolsa de estudos no valor de R$ 750,00 em 18 meses
Caçador - 23/06/2017 16:44
Tiro de Guerra realiza Semana de Prevenção às Drogas
Neste sábado, 24, os atiradores irão participar de uma campanha nas ruas da cidade
Administração - 23/06/2017 16:24
Curso da Uniarp realiza Mostra de Negócios Universitários
O evento envolveu acadêmicos da sétima fase do curso de Administração
Equipamento - 23/06/2017 16:18
Epagri moderniza rede de monitoramento climatológico
A rede é composta por estações meteorológicas, hidrológicas e agrometeorológicas
Júri Popular - 23/06/2017 16:01
Defesa reconhece crimes de Carlinhos, mas discorda de alguns pontos
Confira os principais argumentos utilizados pelo defensor público no Tribunal
Aniversário - 23/06/2017 12:45
Solenidade comemora os dez anos do 15º Batalhão de Polícia Militar
Evento foi marcado por homenagens e o corte de um bolo festivo nesta sexta-feira