Cobrança

Lebon Régis deve R$ 1,2 milhão ao Governo

Herança da antiga administração referente à Educação deverá ser paga até 2020

O prefeito Douglas Mello recebeu, na última quarta-feira, 9, uma comitiva do Governo do Estado de Santa Catarina que tratou sobre vários assuntos. Um deles foi sobre uma dívida do município para com o Estado de R$ 1.230.610,55, referente à apropriação indevida de recursos do Fundeb e Salário Educação durante o ano passado, na gestão anterior.

O valor total da dívida era de R$ 1.696.282,55, mas o Governo do Estado já bloqueou a transferência de recursos do convênio do transporte escolar de 2016, no valor de R$ 465.672,00, foram debitados da dívida do município, ficando ao saldo da dívida em R$ 1.230.610,55.

O prefeito de Lebon Régis comprometeu-se a apresentar proposta de pagamento da dívida até o final deste mês, que deverá ser saudada até o final de 2020. Caso Lebon Régis não assinar um novo contrato com a Secretaria Estadual de Educação, só restará ao Governo Estadual o corte de recursos do transporte escolar dos anos de 2018. 2019 e 2020.

A dívida com o Governo do Estado referente a recurso do FUNDEB e Salário Educação fazem parte da herança de mais de R$ 9.000.000,00, herdada pelo atual prefeito Douglas Mello.

A comitiva foi composta por membros da Secretaria Estadual de Educação e da Agência Desenvolvimento Regional (ADR) de Caçador. Outros assuntos foram abordados, como as últimas avaliações do Ministério da Educação (MEC) do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2013 e 2015, onde a Rede Municipal de Lebon Régis teve a pior avaliação do estado de Santa Catarina.

O prefeito Douglas apresentou aos dirigentes estaduais suas ações e planejamentos para mudar essa lamentável situação, segundo o prefeito a administração que o antecedeu “cometeu um grande crime contra as crianças, adolescentes e jovens de Lebon Régis”.



Comentários (1)

Jesus

11/08/2017 22:35

Agora me pergunto qual a culpa dos alunos nisso tudo? Pq não cobrar quem fez a cagada judicialmente ao invés de retirar investimento no transporte?

Deixe seu comentário