Economia

Câmara aprova projeto de incentivo à empresa 3 Irmãos

Com voto de minerva do Presidente Rubiano Schmitz, matéria foi aprovada por 7 a 6

Com o voto de minerva do Presidente Rubiano Schmitz (PSD), a Câmara Municipal de Caçador aprovou, por 7 a 6 em primeira votação nesta segunda-feira (13), o Projeto de Lei n° 25/2017, que autoriza o Executivo a conceder estímulo material para reativação e expansão de empreendimento à Indústria de Móveis 3 Irmãos S/A. A propositura consiste na dispensa de doação ao Município de 15% da área total do desmembramento de imóvel de propriedade da empresa Madecal Administradora de Bens Ltda., com a qual a Indústria de Móveis 3 Irmãos S/A firmou, em 28 de junho de 2016, contrato de compra e venda de 60,22% da área, onde já se encontra instalada (empreendimento outrora explorado pela empresa Madecal).

A matéria recebeu votos contrários dos Vereadores do PMDB, Alcedir Ferlin, Marcio JF, Neri Vezaro e Paulo Jarschel, além dos Vereadores Sirley Ceccatto (PSDB) e Marcos Creminácio (PDT), os quais justificaram na semana passada, quando o projeto já esteve em discussão e foi retirado para alterações na redação na Lei Complementar 106/2007, entender que o mesmo estaria em desacordo com a legislação.

Ao desempatar a votação, Rubiano disse ter entendimento diferente dos colegas. Para ele, o projeto está dentro da legalidade e vem ao encontro do interesse público, uma vez que além da carga tributária deve gerar inicialmente em torno de 150 empregos diretos, podendo chegar a aproximadamente 300 com a vinda de outro segmento da empresa.

“Acredito que o Município só tem a ganhar ao conceder este incentivo, a exemplo do que já aconteceu quando a empresa Guararapes aqui se instalou aqui e a Municipalidade fez a doação de áreas. O retorno tributário e a geração de empregos promovidos pela Guararapes desde então contribuiu muito para que Caçador não sofresse tanto com a última crise econômica enfrentada pelo país”, frisou.

  Também votaram a favor do projeto os Vereadores do PSDB, Adriano Pares, Amarildo Tessaro e Jair Fernandes; além de Cleony Figur (PSD) Itacir Fiorese (PDT) e Moacir D’Agostini (DEM).

A matéria segue para segunda votação na sessão desta terça-feira (14).



Comentários (10)

Vergonhoso

14/11/2017 15:57

Vergonhoso o que está se fazendo em nossa cidade. A empresa já tinha comprado o terreno vcs acham que a empresa iria desistir??? Esses nobres vereadores que votaram a favor são uma vergonha pois deixar de arrecadar 15 porcento para a prefeitura que poderia fazer muitas coisas para cidade e enquanto muitos empresários pagam os impostos e esse daí vai ficar isentam. Será que ele vai repassar isso aos empregados claro que não . Isso se não trouxer mão de obra de fora. ACORDA CAÇADOR SE O PROCESSO FOI REJEITADO NA PRIMEIRA VEZ É PORQUE NÃO ERA LEGAL.

CONTRA ESSA MÁFIA

14/11/2017 13:58

Sou totalmente contra! Pois a partir do momento que foi doado perde-se o poder do terreno, deveriam criar um documento com regras bem simples: Enquanto estiver gerando emprego com uma quantidade X de vagas pode utilizar, a partir do momento que não estiver gerando mais emprego " Devolve"

Marcos

14/11/2017 13:57

Coloquem meu comentário que me resposabizo marcos .

cacadorense

14/11/2017 13:42

Isto absurdo deixa fecha empresas e outras tiveram diminuir funcionários só com as empresas tinha no Pet foi dispensado até mais de 150 empregos diretos . Tem cuidar primeiro e dar este enssentivo para as que existem ainda depois trazerem outras. Só a minha despensa mos 4 funcionários se

como assim???

14/11/2017 00:11

Os outros mortais tem que doar os 15% para a prefeitura porque está na lei, mas os empresários são dispensados....hum...muito interessante isso....

caçadorense

13/11/2017 23:26

quero tambem um terreno gratis no centro pra monta minha loja pois to pagando aluguel caro e tenho o mesmo direito que esses emprezarios grandes estelionatarios maiores sonegadores de imposto trabalham com caixa 2 fui operario e recebia por fora com cheques de clientes ou dinheiro vivo

EU

13/11/2017 23:24

Quem é empresário só tem que ser contra outra empresa que oferece mais empregos, mais concorrência, ...

Cidadão

13/11/2017 22:27

E as 33 empresas que tinha no Pet implorando com todos os tipos de órgão público e associações existente em nossa cidade com reuniões com político , servidores público anteriores e atuais para serren amparadas pelo menos com um terreno continuar dado empregos ! Mas nada ! Fomos quase jogado na rua! Agora doar terreno para guararapes etc etc ...só empresas de fora pode ser amparadas! E nós que temos raizés aqui tínhamos ter prioridade!. S. O.S.

Claudia

13/11/2017 21:44

Parabéns aos vereadores que incentivam o crescimento da nossa região.

CIDADAO

13/11/2017 21:03

Boa noite... tenho conhecimento da matéria e sei que o parecer juridico da camara eh pel nao aprovacao da materia... gostaria que o site apurasse e colocasse na reportagem.....

Deixe seu comentário