Entrevista

Cigano relata alívio por resolução em caso de doping, e mira retorno contra Volkov

Peso-pesado fala das dificuldades e da frustração pela demora do caso

Devoto de São Jorge, o soldado romano que, segundo a lenda, suportou grandes torturas e derrotou até um dragão, o peso-pesado Junior Cigano teve motivos de sobra para celebrar o dia 23 de abril, dia do "Santo Guerreiro". Foi nessa data que ele recebeu a notícia de que o processo que o investigava por suspeita de doping por uso de hidroclorotiazida (uma substância diurética) havia chegado ao fim. A investigação foi gerenciada pela USADA (agência que controla o programa antidopagem do UFC), que entendeu que Cigano havia ingerido a substância de forma inconsciente: um suplemento que ele adquiriu em uma farmácia de manipulação no Brasil estava contaminado com fragmentos do diurético.

Por ter colaborado com as investigações, que envolviam uma farmácia de manipulação de credibilidade, o brasileiro recebeu pena reduzida de seis meses de suspensão e já está apto a voltar a lutar. Além dele, outros dois brasileiros (Rogério Minotouro e Marcos Pezão) também passaram pelo mesmo problema com farmácias brasileiras. O processo todo levou nove meses para ser concluído, e Cigano não vê a hora de deixar toda a frustração para trás e focar em seu retorno ao octógono.

"Eu pedi muito a São Jorge que me ajudasse com essa situação. O que eu quero, de verdade, é voltar a competir (…). Coloque um próximo adversário pra mim, me dá dois meses que eu já posso lutar. Não estou escolhendo nada! Quero voltar a lutar, quero voltar a competir, fazer as coisas acontecerem novamente, até porque eu tenho pressa", declarou o peso-pesado, que não luta desde maio de 2017 e tem um cartel de 18 vitórias e cinco derrotas.

No bate-papo, Cigano aproveitou para analisar a categoria dos pesos-pesados, e elegeu o russo Alexander Volkov como um provável adversário para a sua próxima luta.

"Eu já tinha fechado uma próxima luta quando recebi a notícia, que seria com o Ngannou. Poderia ser uma opção, mas acho que ele já marcou luta. Tem o Overeem, que seria uma revanche, acho que ele já marcou luta, mas também acho que ele não aceitaria lutar comigo, que eu sei… Teria, sei lá, o Werd… não, nem tem. Esse não aceita… Mas acho que o Volkov, o que lutou com ele é o cara que eu tô vendo de fora, é um cara que está vindo muito bem e que está sem luta ainda, ou seja: é o perfeito casamento. Eu sei que ele quer lutar pelo cinturão, então eu vou trazer essa sensação pra ele do que é lutar pelo cinturão", disse.

 

Confira a entrevista abaixo na íntegra:

Como foram os meses que se sucederam à notificação da USADA?

- Foi um tempo bastante difícil, que eu nunca imaginei que iria enfrentar, até porque eu sou um cara que sempre joguei o jogo limpo. Falar é uma coisa que todos falam, isso que complica um pouco. Falar todos falam, mas eu achei que uma organização que poderia comprovar isso seria a USADA. Então, eu sabia que qualquer problema que ocorresse um dia, eles teriam a capacidade de ver que eu não sou um cara que joga sujo, que usa droga ou qualquer outra coisa. Aliás, eu não uso nenhum tipo de droga, então eu achei que seria resolvido rapidamente e facilmente, mas não foi assim. Infelizmente as coisas foram levando cada vez mais tempo, demorando muito, e eu fui ficando, claro, frustrado. O Paul Greene, que foi o advogado que eu contratei juntamente com a Ana Cláudia Guedes, que já trabalha comigo e é advogada também, eles fizeram um trabalho muito bom dentro dos limites deles, porque você tem o contrato da USADA e a gente pode chegar dentro de um certo limite. A gente está exposto a todas as regras que estão ali explicitadas, então é lógico que eles estavam fazendo a parte deles. É a mesma regra para todos, mas eu realmente esperava que fosse algo muito rápido, que eles iriam ver que foi uma contaminação, até pela quantidade, porque encontraram em mim 0,5, alguma coisa assim, de diurético. Primeiro que a hidroclorotiazida, que foi o diurético que eles encontraram em mim, é um diurético bastante ineficaz para mascarar alguma droga. E outra que foi a quantidade que acharam em mim, foram traços de diurético em mim. Então, eu acho que, dentro dessas informações que eles colheram, seria fácil para eles me declararem inocente e me liberarem para lutar novamente. Mas não foi assim. Demorou bastante, nove meses como vocês sabem, e a frustração foi grande, porque quando você sabe que não fez algo errado é muito ruim. Ainda mais por conta das pessoas, de algumas declarações meio que absurdas sobre mim, e tudo que eu falei eu sempre fui muito a favor da USADA, sempre defendi a organização porque a gente quer o esporte limpo. E eu posso dizer que eu tenho muito orgulho disso. Eu fui campeão do mundo limpo, sem nunca nem saber o que era isso , e vou ser campeão do mundo, novamente, da mesma forma. Então, foi como eu falei, foi frustrante, mas graças a Deus hoje eu me sinto aliviado, porque eu acho que quem defende a verdade vai sempre sair vencedor no final.

 

A farmácia de manipulação onde você adquiriu os produtos contaminados era uma farmácia de confiança?

- Sim… Desde 2014 a gente trabalha com eles (com a farmácia de manipulação)e sempre foram confiáveis. Já passamos por inúmeros testes da USADA, muitos e muitos e nunca ocorreu nada. Nem tivemos sombra de qualquer dúvida. Até por isso, quando eu fui notificado de que tinha caído nesse exame antidoping, o primeiro suplemento que eu mandei para eles foi um CLA que eu estava tomando que eu tinha comprado no Amazon, porque pra mim era a única coisa de diferente que eu tava tomando. Então esse foi o primeiro suplemento que eu mandei pra eles, porque não passava pela minha cabeça que seria a farmácia, sendo que a gente já tinha um trabalho de longo tempo. Esse resultado voltou negativo, aí então eu mandei alguns suplementos novos que eu estava tomando da farmácia, que tinham acabado de chegar, e em três dos suplementos foram encontradas as substâncias.

 

Como foi o processo de refazer os testes nos suplementos?

- Na verdade eu pago pelos testes, mas é a própria USADA… Eles mandam pra WADA, que é a agência mundial, para fazer os testes, e eu pago por cada teste que eu faço, mas é já dentro da própria USADA. O resultado serve pra eles. Mas é claro que, como o resultado deu positivo quando voltou, quando você compra o suplemento numa loja de suplementos, existe um lote, foram vários suplementos produzidos dentro daquele lote. Eles podem comprar outro suplemento com aquele mesmo lote e testar um segundo suplemento para comprovar se realmente foi contaminação. Como é uma farmácia de manipulação não tinha como fazer isso, o que dificultou a situação, então levou mais tempo, foi mais dificultoso pra gente chegar até um final… o que me deixou maluco em alguns momentos, mas finalmente a USADA conseguiu comprovar que realmente foi uma contaminação.

 

Pretende processar a farmácia que vendeu os suplementos contaminados?

- Na verdade, a única coisa que eu quero agora… Estou muito feliz, até pela notícia que eu recebi…eu pedi muito a São Jorge também que me ajudasse com essa situação, então o que eu quero, de verdade, é voltar a competir. Eu amo fazer o que eu faço, e a minha vida, eu me sinto…tanto que eu fiquei treinando esse tempo todo. Eu sempre achei que em algum momento eles iam me liberar e eu ia pegar uma luta rapidamente e ia poder lutar. O que eu tenho na minha cabeça agora, antes de qualquer coisa, independente do que for, é voltar a lutar. Coloque um próximo adversário pra mim, até porque o meu último resultado infelizmente foi negativo, lutando pelo cinturão junto com o Miocic, e isso não representa a minha verdade. Acho que as pessoas que me acompanham através da carreira viram que foi um golpe que entrou, bom pra ele, mas essa não é a verdade. Eu quero mostrar isso a todos, estou me sentindo muito bem fisicamente, então o meu objetivo é voltar. Claro que essa questão de resolver a situação com a farmácia ou mesmo com a USADA eu vou deixar para a parte jurídica do escritório que cuida da gente para eles cuidarem disso e tomarem as decisões certas porque eu confio neles.

Quando você recebeu a notificação da USADA você tinha luta marcada, tinha acabado de ser pai. Como foram os meses de espera até essa definição? 

- Eu sou um cara extremamente positivo. Quem teve a oportunidade de conviver comigo sabe disso. As pessoas na própria academia podem falar um pouco disso pra vocês, porque independente da situação que eu estava enfrentando, que é extremamente injusta nesse caso todo, eu mantive o sorriso no rosto, o trabalho duro o tempo todo, porque eu acho que a gente é movido a isso, positividade, eu quero coisas positivas para a minha vida, então eu tento emanar o máximo de positividade possível. Na academia era assim, eu treinando bastante e, acredite ou não, toda a noite que eu deitava a minha cabeça no meu travesseiro, eu imaginava: “Amanhã eles vão esclarecer essa situação e vão ver que estou certo, que é uma verdade o que estou falando. E vão me liberar, eu vou pegar uma luta e vou lutar”. Então, eu acho que isso foi bom porque me ajudou também, e a questão do meu filho…sei lá, Deus sabe o que faz (abre o sorriso). Ele foi assim… ele é um anjo na minha vida e ele foi um anjo, principalmente pra enfrentar esse momento, eu estaria muito pior se ele não tivesse aqui. Ele estando aqui é o que importa, na verdade. Ele me faz lembrar todo dia, quando eu olho pra ele, ele sorri pra mim, pede colo e eu lembro que aquilo ali é o que importa, o resto a gente resolve.

Quão cedo você pretende voltar a lutar? 

- Eu estou treinando, como te falei, estou treinando, então agora a gente já vai entrar em contato com o UFC e ver uma próxima luta, um próximo oponente… Eu estou…me dá dois meses aí eu posso lutar. Não estou escolhendo nada. Eu quero voltar a lutar, quero voltar a competir, fazer as coisas acontecerem novamente, até porque eu tenho pressa. Como eu falei, a minha última luta não representa a minha verdade, os fãs que me acompanham sabem disso, então eu tenho pressa de esclarecer logo tudo. 

No tempo em que você ficou afastado, muita coisa aconteceu na categoria dos pesados. Como você analisa a categoria hoje? 

- A categoria dos pesos-pesados teve um momento de bastante divulgação, que foi a questão do Ngannou lutando com o Miocic. As pessoas colocando o Ngannou até como favorito, o que me pareceu bastante estranho, né? Mas, tudo bem, a categoria, como sempre, está vivendo um momento bom, tem atletas excelentes, como a própria luta do Werdum com o Volkov agora foi uma luta boa, pode ser um próximo adversário, vai saber… mas a categoria dos pesados é uma categoria difícil, onde é aquilo que a gente sempre fala: a mão entrou, a luta acabou. 

O que achou da luta entre Stipe Miocic e Daniel Cormier? É a favor de superlotas?

- Superluta, quando as pessoas querem assistir, é bom. Se os fãs querem ver essa luta eu acho legal. Não acho uma luta muito interessante, sinceramente, principalmente pro Miocic. Eu espero que ele esteja ganhando muito dinheiro pra fazer essa luta porque ele não está ganhando “nada” pra enfrentar um cara que era campeão da categoria de baixo e o cinturão dos pesos-pesados está na linha, ou seja, qual é o benefício do Miocic estar enfrentando o Cormier? Eu não vejo muitos benefícios pro Miocic, mas eu espero que ele esteja fazendo muito dinheiro, e é uma luta ruim, viu? O Cormier é aquele cara chato, com um wrestling excelente, ou seja, o Miocic todo mundo sabe que dá uma cansada no terceiro, quarto round, então eu não acho uma luta boa pro Miocic a não ser que os fãs queiram ver, como é o caso, acho que está sendo muito repercutida essa luta (e que ele esteja fazendo um bom dinheiro). A gente não pode esquecer que o Miocic tem um wrestling bom também, mas eu acho que não se equipara ao do DC, porém a mão dele é bem pesada, eu posso dizer.

A categoria já tem algumas lutas agendadas até julho, mas você já tem algum adversário à vista? 

Eu já tinha fechado uma próxima luta quando recebi a notícia, que seria com o Ngannou. Poderia ser uma opção, mas acho que ele já marcou luta. Tem o Overeem, que seria uma revanche, acho que ele já marcou luta, mas também acho que ele não aceitaria lutar comigo, que eu sei… Teria, sei lá, o Werd… não, nem tem. Esse não aceita… Mas acho que o Volkov, o que lutou com ele é o cara que eu tô vendo de fora, é um cara que está vindo muito bem e que está sem luta ainda, ou seja: é o perfeito casamento. Eu sei que ele quer lutar pelo cinturão, então eu vou trazer essa sensação pra ele do que é lutar pelo cinturão. 

Qual a lição que fica disso tudo?

- Eu acho que a lição que fica depois disso tudo aí é se cuidar ao máximo possível, e tentar fazer o correto ali o tempo todo, porque eu sou um cara que cuido da minha dieta, sempre cuidei, cuido da minha alimentação, muito direitinho de tudo, da própria suplementação, e acabei sofrendo isso, então eu nem consigo explicar direito o que foi pra mim passar por tudo isso , e tendo durante anos exposto a minha colaboração com a USADA, com o sistema antidoping. De repente ver as pessoas colocando a minha palavra em dúvida, como se eu tivesse mentindo, como se eu fosse realmente um cara trapaceiro, então foi uma situação bem ruim mesmo, que eu não desejo pra ninguém, nem pro meu pior inimigo. Eu nunca imaginei que eu pudesse enfrentar uma situação dessa, infelizmente acabei enfrentando, mas graças a Deus a verdade prevaleceu. E, como eu falei, se manter regrado no teu objetivo e, quanto à USADA, eles são um órgão super competente, mas no meu caso, por exemplo, você acha 0,4 ou 0,5 de diurético, de um diurético que ainda nem é eficaz, diurético barato…Por mais que essa substância seja proibida, você acha em uma quantidade muito baixa. O diurético não é droga, né, só é proibido porque ele mascara drogas…Então, quando você acha uma baixa quantidade de uma substância como essa, que não é uma droga realmente, eu acho que a USADA não deveria afastar o atleta daquela luta. Eles deveriam manter o atleta na luta numa situação como essa, a não ser que seja muito claro que foi um doping, que seja um anabolizante, alguma coisa assim…aí tudo bem você afastar para depois investigar. Mas, num caso como o meu, acho que seria importante eles investigarem, mas não tirarem o atleta da luta, deixar o atleta lutar. Se for comprovada a culpa do atleta, você até pode aplicar uma multa ou ser mais severo na punição desse atleta, mas desde que fique provado que realmente foi culpa dele. Quando parece ou tem essa possibilidade de ter sido uma contaminação, como foi o meu caso, não tire da luta, porque foi um atraso de vida…fiquei parado 9, 10 meses, vindo da minha última luta em maio, ou seja, já vai fazer um ano que eu lutei..mais um ano sem lutar. É uma coisa que atrapalha muito os atletas, sei que eles estão lá pra fazer o trabalho deles, regra é regra, eles fazem um excelente trabalho, mas nesse sentido acho que poderia ser assim. Dependendo da situação que encontrarem no atleta, que eles deixem lutar, deixem a luta acontecer, e, se depois for provado que o atleta é realmente culpado, aí você dobra a pena para aquele determinado atleta



Comentários (0)


Deixe seu comentário