Artigo

Combustível fóssil, por Luiz Carlos Fracari

"Está tudo parado, a cadeia produtiva não funciona sem combustível"

De fato, não somos ninguém sem combustível fóssil, o futuro já chegou, são milhões de pessoas passando sufoco, necessitando de um litro do ouro negro. Não sabíamos que ficaria insuportável essa condição no Brasil, policiais escoltando carretas e caminhões, postos a beira do caos, pessoas precisando de medicamentos, animais vivos sendo transportados sem alimentação, agora podemos ver que temos dinheiro para comprar e não temos mercadorias para vender. Está tudo parado, a cadeia produtiva não funciona sem combustível, não suportamos nem alguns dias e tudo está estagnado, sem condições.

Agora, podemos ver que a filmagem Mad Max, levada ao extremo pela falta de combustível, até ontem uma ficção, hoje é uma realidade para nós , nem podíamos imaginar quão era a gravidade desta situação, as maiores empresas de nossa cidade estão paradas, as poucas que estão funcionando neste momento estão sem transportes para funcionários, sendo que estes são obrigados a caminhar para chegarem no seu setor de trabalho. O comércio está sem compradores, estimamos que o prejuízo se estenda para governo, empresários e consumidores.

Recapitulando a algum tempo também tivemos greve dos caminhoneiros no Brasil,  foi iniciada em 9 de novembro de 2015 em diversos estados do Brasil, com impactos para vários setores da economia. A paralisação foi convocada por meio das redes sociais, com o objetivo de reivindicar redução no preço do óleo diesel, cancelamento de multas de greves anteriores e ampliação de créditos subsidiados. Esta greve não foi tão impactante para a população quanto está que estamos passando neste momento, neste momento os grevistas conseguiram vários subsídios por exemplo: diesel tem corte de 46 centavos na bomba, MP 831 reserva contratos da Conab a autônomos, MP 832 cria tabela de preço mínimo de frete, MP 833 isenta eixos suspensos de pedágio. Desta forma os grevistas conseguem trabalhar com mais folga financeira, obtendo maior rentabilidade em seus serviços de frete.

Sendo que para nós que continuamos utilizando somente gasolina o custo é demasiado alto, caso quisermos algum subsídio no preço da gasolina teremos que aderir aos caminhoneiros e também fazer greve. Creio que temos que protestar, está é a única forma de diminuirmos os preços da gasolina, para podermos viver com mais estabilidade financeira, assim a indústria produz, o comércio vende e o consumidor compra mais, assim todos ganham e cadeia produtiva se estabelece.

Está certo que o combustível fóssil do planeta vai acabar somente por volta do ano 2050, e no momento já temos outras opções como por exemplo: o automóvel elétrico fabricado por uma empresa nos Estados Unidos; ou o automóvel híbrido que utiliza combustível fóssil e também move-se com eletricidade, e que o custo destes automóveis é excessivamente alto para nós no Brasil, por enquanto nem podemos pensar em comprar uma unidade destes automóveis, e que está tecnologia ainda não chegou até nós e estamos propícios a continuar pagando preços absurdos por um litro de gasolina.

Mas quem sabe tudo isto, abra caminho para uma nova economia de mercado, combustíveis com um preço justo para os brasileiros, consequentemente preços justos para nosso alimento, onde o cidadão tenha maior poder de compra para fazer girar a roda da economia.



Comentários (2)

Charlie

05/06/2018 07:44

O problema está na palavra-chave "subsídio". O subsídio implica que o governo deixe de ganhar tanto com o item A. Mas ele precisa compensar isso aumentando a arrecadação do item B. Ou itens b, c, d proporcionalmente. No caso do diesel, seu subsídio é cobrado na gasolina. E se a gasolina for subsidiada, esse subsídio precisa sair de algum lugar. Não existe almoço grátis. O fato é que não precisamos de nenhum governo que fique criando subsídios. Precisamos é de uma máquina pública enxuta e eficiente. De uma reforma que viabilize a redução dos impostos, de modo que eles não sirvam unicamente para manter a máquina pública funcionando. Por exemplo, a questão do auxilio-moradia para deputados, senadores, juízes, etc. Supersalários e superaposentadorias no funcionalismo público. Isso sai do nosso bolso, é cobrado na gasolina, no diesel, no pãozinho, em tudo que você compra. E isso tem que ser discutido pelo legislativo - presidente não pode interferir nisso. Daí a importância de conhecer seus candidatos a deputados e senadores, e cobrá-los.

Sch

04/06/2018 20:13

E meu amigo não somos movidos pelo petróleo somos movidos por leis de um governo ladrão e corrupto porque temos o álcool mais caro do mundo temos carros total Flex mas não serve pra nada temos a eletricidade que é uma fonte de energia limpa e barata porque o governo não financia empresas que fabriquem carros a energia elétrica claro agora não seria viável pois não teria o que fazer com gasolina e o arrombo seria muito maior porque mudar um produto que da lucro mas muito lucro para o bolso do governo e ainda querem que o Brasil cresça ou tenha mudanças so tenho absoluta certeza que este país não mudará jamais entra ou saia governo mas só uma ultima observação o Brasil e uma desorganização que por enquanto ta dando certo até quando não sei mas um exemplo ta ai a paralisação dos caminhões muita coisa ainda pode acontecer neste 2018

Deixe seu comentário