Epagri

Estação Experimental comemora 80 anos com Caminhada Ecológica

Caminhada na Natureza da Epagri já tem 400 inscritos três dias antes do evento

Por Edison Porto

Uma Caminhada na Natureza, por dentro de uma Estação Experimental, passando por matas preservadas, campos de pesquisa de peras e maçãs; por uma estação onde se estudam os peixes (a piscicultura) e até mesmo por um trecho de uma propriedade rural vizinha, é uma oportunidade sensacional que oferece a Caminhada Ecológica organizada pela Epagri de Caçador, em parceria com a Embrapa, Prefeitura Municipal de Caçador, com o Projeto Anda Brasil, para o domingo, 19 de agosto.

A Anda Brasil - Confederação Brasileira de Esportes Populares, Caminhadas na Natureza e Inclusão social é uma entidade não governamental que vem incentivando e apoiando a realização deste tipo de evento que envolve e trás benefícios para a comunidade onde se realiza. Pequenos produtores rurais da agricultura familiar, artesões, rede hoteleira e o comércio local, ganham com a movimentação dos caminhantes, tanto do município, como muitos de outras cidades que vêm caminhar e conhecer a região.

A Epagri – Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina, da Secretaria de Estado da Agricultura e da PESCA, além da realização da Caminhada Ecológica no domingo, para atender um grupo de caminhantes que virá de outras cidades um dia antes, organizou um Passeio Turístico pela cidade, com caminhada no meio Rural na Linha Cará (4km), com possibilidade de comprar produtos da Agricultura Familiar. Um benefício adicional para Caçador, no sábado dia 18.

Assim será a Caminhada Ecológica celebrando os 80 Anos da Estação Experimental de Caçador que conta com o apoio de várias entidades. Além dos funcionários da Estação treinados para conduzir e acompanhar os caminhantes, ajudarão nesta tarefa de condutores, o Clube Desbravadores Caçadores da Serra e os Atiradores do Tiro de Guerra de Caçador.

Profissionais da Secretaria de Cultura, Esportes e Turismo da Prefeitura de Caçador, coordenarão a sessão de alongamento para cada grupo de caminhantes com partidas programadas para as 8h; 8:30h e 9h. Os Bombeiros Voluntários darão apoio prontos para qualquer emergência ou necessidade de socorro a algum caminhante.

A partir das 7:30h os caminhantes devem confirmar sua inscrição, feita previamente pelo site “cacador.caminhadas.info”, até as 17:59h do dia 17, sexta-feira. Na inscrição se pode reservar a participação no Café Rural ao custo de R$ 18,00 por pessoa, com a opção de reservar também o almoço ao custo de R$ 30,00.

Desde o início, estarão disponíveis, para compra, os produtos coloniais de produtores rurais da agricultura familiar, da Cooperagro Familiar; Mel vendido pela Associação de Apicultores de Caçador e Região; sucos de uva da agroindústria Zoltonelli; doces, geleias e bolachas da Real Doces; morangos de Ademir Scolaro; derivados do leite do Sr. Luiz Petrykowsk; hortaliças e pães de Neuza e Rodrigo Buffon. Além de produtos vendidos pela Associação de Artesãs de Caçador que tem o apoio do o Núcleo de Turismo da AMPE (Associação das Micro e Pequenas Empresas).

A Ervamate Mazutti estará presente oferecendo gratuitamente a sua tradicional mateada durante o evento. E o Café Rural no início da caminhada será servido pela Sra. Edna Catapan Martini, com seus pães, cucas e produtos da Linha Cará, para quem confirmou a sua reserva.

Um verdadeiro passeio pela natureza e, pela história de uma área de estudos e experimentos, que nasceu há 80 anos. Criada oficialmente em 31-ago-1938, como Estação Experimental de Trigo Rio Caçador, numa área de 1.544 hectares, mudou de nome algumas vezes até se tornar simplesmente Estação Experimental de Caçador. Na origem o interesse eram as pesquisas com o trigo, em 1975 as pesquisas se voltaram para a fruticultura; e em 1980 se iniciaram os estudos dos peixes, para o desenvolvimento da piscicultura na região.

Os condutores comentarão os locais por onde a Caminhada passar, contando sua história, falando curiosidades, como por exemplo sobre os prédios da administração, casas de apoio, laboratórios, antigas residências e a igrejinha, construídos em 1940. Cada grupo de caminhantes, plantará com os guias, três araucárias, o pinheiro típico do Paraná e de Santa Catarina.

No trajeto as pessoas caminharão pelos trilhos da estrada de ferro construída em 1910, com o objetivo de ligar São Paulo ao Rio Grande do Sul, uma obra considerada uma das principais causas da Guerra do Contestado que teria vitimado cerca de 100.000 brasileiros, conforme estimativas de pesquisadores do sangrento período de 1912 a 1918.

A caminhada ecológica, passará próxima ao Rio do Peixe que nasce no município de Calmon e deságua no Rio Uruguai; será possível observar trechos do rio. Depois de uns 5 km haverá um ponto de retorno, para o caso de alguém desistir de fazer o percurso completo. Em 5,5km haverá ponto de descanso, para banheiro e água, bem como uma barraquinha com venda de produtos rurais. Neste ponto há as ruínas de uma Serraria, construída em 1940, para a fabricação de móveis.

A Caminhada seguirá pela mata, passando por uma floresta fechada de pinus, para em seguida passar por uma estrada da Linha Caixa D’água, sendo que em 7km haverá um segundo ponto de retorno. Seguindo pela propriedade do Sr. Roque Dondoni, onde haverá água potável à disposição de todos, nesta propriedade, além da lavoura, há também o manejo de gado.

A trilha seguirá por uma área experimental de desenvolvimento da maçã e voltará a passar por mata fachada, com apoio de cordas nos locais de maior dificuldade. Com 9km se encontrará e estação experimental de alevinos, com criação de vários tipos de carpas, será a Estação de Piscicultura, onde haverá banheiro e água para os caminhantes.

Ao concluir o percurso de 11km os caminhantes estarão no ponto de partida, onde lhes será ofertado o almoço pela Associação de Funcionários da Estação Experimental de Caçador - AFEMC. No cardápio produtos da agricultura familiar local, com polenta; frango caipira ensopado; xixo de porco; risoto de frango; galeto assado e saladas, dando ao caminhante a oportunidade de conhecer a gastronomia cabocla típica da região.

É importante o Caminhante carimbar sua Caderneta Internacional das Caminhadas e Pedaladas que receberá no ato da confirmação da Inscrição, se ainda não a tiver. Com dez participações o caminhante pode solicitar, gratuitamente, um diploma personalizado, um pin e um bordado da ANDABRASIL, e é claro, uma Caderneta nova para 20 participações.



Comentários (0)


Deixe seu comentário