De olho em 2020

PSL de Caçador planeja disputar as eleições municipais

O partido aproveita o crescimento e quer concorrer à Prefeitura e Câmara

Com a eleição de Jair Bolsonaro à presidência, lideranças do Partido Social Liberal (PSL) começam a planejar o futuro da legenda em Caçador. Membros do partido garantem que o PSL quer disputar a Prefeitura e a Câmara de Caçador em 2020, com candidatos próprios.

A porcentagem de votos conquistados por Jair Bolsonaro em Caçador deve refletir em um fortalecimento do PSL para as próximas eleições. O presidente conquistou 66,85% dos votos validos da cidade, número que surpreendeu até mesmo os apoiadores.


Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, e Romero Côas

No país, o PSL também obteve um crescimento avassalador de filiados devido à onda de Bolsonaro. Somente em Caçador, onde o partido se restabeleceu há pouco tempo, houve o registro de mais de 300 filiados nos últimos meses.

Com base no resultado das urnas, o grupo ganhou bastante confiança e projeta boas expectativas para o futuro. Romero Côas, um dos líderes da sigla no município, disse, em entrevista ao Caçador Online, que a executiva já trabalha visando as eleições municipais de 2020.

“Vamos estudar nomes para prefeito, vice-prefeito e vereadores, seguindo a mesma linha do PSL que é chapa pura, com personalidade própria e sem coligações. Os trabalhos já começaram”, adianta.

Representatividade

Romero também comenta a importância do crescimento do partido no Estado. “O PSL de Santa Catarina conseguiu eleger quatro deputados federais, e seis estaduais. A representatividade para o Estado será muito boa. E com essa dobradinha Governador/Presidente do mesmo partido, Santa Catarina sai ganhando e muito com isso”, observa.

Um dos principais contatos da executiva municipal será a advogada chapecoense Caroline De Toni, eleita deputada federal. A candidata do PSL foi a terceira mais votada em Caçador, com 2.076 votos (6,30%).

“Temos contato direto com ela. A Caroline De Toni se compromete em ajudar Caçador, estreitando laços com o Governo Federal e Estadual. Com ela, tenho certeza que a distância até Florianópolis e Brasília será diminuída”, acrescenta Romero.

Uma avaliação positiva

Mesmo com uma executiva provisória, o PSL de Caçador obteve grandes conquistas nas eleições 2018. Segundo Romero Côas, os membros trabalharam forte o nome de Lucas Esmeraldino, para o Senador Federal, e do Comandante Moisés (eleito), para Governador.

“Trabalhar o nome de Bolsonaro era muito fácil, ainda mais em Santa Catarina, onde teve uma votação expressiva. Difícil mesmo foi levar o nome do Lucas e do Moisés, pois a maioria aqui ainda não conhecia eles. O trabalho foi de formiguinha, de porta em porta, visitando vários bairros. Assim conseguimos o triplo de votos que esperávamos para os dois candidatos em Caçador, no primeiro turno”, destaca.



Comentários (0)


Deixe seu comentário