Caso Nadir

Justiça manda soltar investigado de homicídio e ocultação de cadáver

O Poder Judiciário também negou o pedido de prisão temporária feito pela polícia

O Poder Judiciário de Caçador mandou soltar o homem suspeito de ter matado Nadir Terezinha Lemos Bilous, de 56 anos, que qual está desaparecida desde domingo (10). O investigado, J.R.C., de 32 anos, foi colocado em liberdade no início da noite desta sexta-feira (15).

A Polícia Civil acredita a mulher está desaparecida porque foi vítima de um homicídio, e apontou J.R.C. como possível suspeito do assassinato e ocultação de cadáver, motivo pelo qual foi preso em flagrante. O delegado solicitou ainda a prisão temporária, porém a Justiça indeferiu o pedido.

Leia mais

Segundo a polícia, o suspeito declarou à polícia que havia saído com a vítima de um bar na rua Elias Biasi e a deixou nas proximidades de outro estabelecimento, a cerca de 300 metros, no bairro Berger.

Na noite de quarta-feira, vigilantes de uma empresa localizaram as roupas e parte da prótese dentária da vítima na rodovia Primo Tedesco. Familiares reconheceram os objetos como de propriedade de Nadir. A polícia teve acesso a um vídeo gravado no bar, no qual a vítima usava essas roupas.

Novas buscas foram realizadas por policiais civis e peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP), os quais localizaram a outra parte da prótese dentária e um anel de Nadir, que foram reconhecidos pelos familiares.

O desaparecimento passou a ser considerado homicídio e J.R.C. um dos principais suspeitos. O caso foi repassado à Divisão de Investigação Criminal (DIC) que está dando continuidade às diligências.

Segundo o delegado Fernando Guzzi, coordenador da DIC, o suspeito foi interrogado e todas as informações por ele apresentadas foram checadas. Outras pessoas e testemunhas foram ouvidas pela polícia, e a versão do suspeito não foi confirmada por elas. 

“Não se descarta algum ato de violência sexual perpetrada pelo investigado, tendo em vista que a vítima estava bastante embriagada, sua roupa foi retirada totalmente e o local é conhecido como ponto de encontro”, informou o delegado Fernando. 

Corpo continua desaparecido 

Até o momento o corpo de Nadir não foi localizado. Foram realizadas buscas nesta quinta e sexta-feira pela Polícia Civil e Bombeiros Voluntários, tanto pelo canil quanto buscas no rio próximo ao local, porém mais nenhum indício foi encontrado.

Indícios do crime 

Na delegacia, foram realizados exames de corpo de delito em J.R.C. Segundo médico perito, ele apresentava uma lesão no antebraço compatível com arranhão, de três a quatro dias, data coincidente com o desaparecimento de Nadir. 

No porta-malas do veículo do suspeito foram localizados diversos fios de cabelo de mesma coloração da vítima; foi realizado exame microscópico preliminar do IGP, porém a certeza virá com a realização de exame de DNA.

Ainda no veículo do suspeito foram localizadas gotas de sangue na porta do carona, bem como nas calças e nas botinas do suspeito. Um exame de DNA foi requisitado ao IGP para se apurar se o sangue é de fato da vítima.

Denuncie! 

Informações anônimas podem ser repassadas à Polícia pelo Disque 181 e pelo WhatsApp (49) 99197-0010.



Comentários (8)

Homem do Cáucaso

16/03/2019 12:07

Cadê o cadáver ? Ela pode aparecer andando na rua e o cara fica preso ?

Para "Dr. Jonas Paulo"

16/03/2019 10:58

Doutor em que mesmo? Especialista em fofocas e mentiras da globolixo? O que que o crime de Caçador tem a ver com a investigação dos corruptos do país?

Indignada

16/03/2019 09:56

É tantos absurdos que a gente vê,como que isso é possível,com todas a provas e a justiça manda soltar?? As mulheres estão sendo mortas todos os dias,e a justiça como sempre passando panos quentes nesses delitos.que mundo é esse meu Deus.

Acusação gravíssima

16/03/2019 09:40

"Dr.Jonas Paulo Rio do Sul", de onde você tirou essa narrativa ??? tem todas as provas para acusar o MPF e a Justiça Federal ??? Print no seu comentário para ele ser encaminhado as autoridades e que sejam apresentadas todas as provas que você possui para fazer uma acusação dessa gravidade.

Observador

16/03/2019 09:13

Por isso o Brasil está nessa situação, com todas essas provas que foram levantadas contra esse sujeito vem sempre a tal de "justiça" e manda soltar, país da vergonha mesmo.

Dr.Jonas Paulo Rio do Sul

15/03/2019 23:08

se ainda existia alguma dúvida sobre a real função da lava jato hoje nao existe mais, até o mais ferrenho defensor esta chocado,. hoje ficou comprovado com fatos, assiaturas e documentos que a função era usurpar dinheiro publuco para fins próprios, disfarçada de fundação privada. Fizeram tudo de maneira orquestrada e fraudulenta de tal maneira que nem a procuradora geral da republica tivesse acesso, a juíza da lava jato assinou o acordo e colocou sigilo de nivel 4, para leigos esse nivel nem os funcionários grauduados de cartorios ou acessores diretos da procuradoria podem ter acesso, mas como o diabo faz a panela mas não faz a tampa a casa caiu quando a denuncia chegou no STF. Toda a cúpula da lava jato está envolvida, desde 2017 nesse crime contra o pais. Juntando as peças fica claro que para isso acontecer era preciso mudar os mandatarios, e Moro saiu da operação foi para o governo para se isentar da culpa caso desse algo de errado, agora a casa caiu quero ver a corregedoria e o cnj punir e prender todos os envolvidos. isso aqui na ninha terra se chama apropriação indevida, por serem conhecedores das leis o crime é muito mais grave.

indignado

15/03/2019 22:25

Essa é a justiça que temos neste pais!!!

eu

15/03/2019 21:39

velha história, polícia prende, justiça solta, simples assim...

Deixe seu comentário