História

Tiro de Guerra comemora 90 anos em Caçador

Uma solenidade alusiva ao aniversário será realizada no próximo sábado, dia 15

No dia 8 de junho, o Tiro de Guerra (TG) 05-006 completou 90 anos de criação em Caçador. A data será comemorada no próximo sábado, 15, com uma solenidade alusiva ao aniversário.

O evento inicia às 11h e terá entrega de boinas verdes aos atiradores da turma de 2019. Toda a comunidade está convidada para prestigiar a formatura.

A história do TG começou em 1929. Na época, foi criada a primeira escola de instrução militar do município no Colégio Aurora. Posteriormente, a unidade recebeu outros nomes e endereços, até receber a atual designação, em 1979.

Atualmente, a sede fica na rua General Osório, ao lado dos Bombeiros Voluntários, onde permanece há mais de 50 anos. O atual chefe de instrução é o sargento Cristiano Fiuza e o diretor é o prefeito Saulo Sperotto.

História do TG 05-006 

Num dia qualquer chegaram na estação ferroviária de Rio Caçador o casal de origem italiana, Dante e Albina Bortolotti Mosconi, vindos de Passo Fundo-RS, para conhecerem melhor esta região, atraídos pelas maravilhas contadas por Leônidas Coelho de Souza, construtor de estradas, colonizador e homem culto.

A população crescia, mas era carente de homens com espírito de grandes iniciativas para promover o seu progresso. O casal foi convencido de permanecer, pois ele poderia desenvolver suas atividades na construção civil, e ela no magistério.

Havia uma pequena escola municipal recém-criada no Distrito de Santelmo, sem professora no curso primário, único autorizado. Então Albina Bortolotti Mosconi, visando a possibilidade de uma escola de grau médio, assumiu o cargo.

No dia 1º de Outubro de 1928 Dante e Albina Bortolotti Mosconi fundaram o estabelecimento de ensino a qual deram o nome de Colégio Aurora, implantando os cursos Elementar e Complementar nos moldes das escolas normais de Santa Catarina, e o Comercial, seguindo a programação do instituto Comercial do Rio de Janeiro.


Primeiros atiradores

A escola obteve sucesso, houve necessidade de amplia-la, então foram construídas salas de aula e um internato para atender os filhos de agricultores, fazendeiros e madeireiros que moravam nas redondezas e que tinham dificuldades para os deslocamentos diários.

No decorrer do ano de 1929 Dante Mosconi encontrou solução para um problema da comunidade: prestar o serviço militar, pois anualmente muitos rapazes chamados a servir o Exército em Porto União, Lages ou Curitiba, com o que muitos deles abandonavam os estudos.

Junto ao comando da 5ª Região Militar, foi obtida autorização para o funcionamento de uma Unidade, a Escola de Instrução Militar nº 354, sendo o próprio Dante Mosconi e designado para a instrução o 3º Sgt Antonio Adolfo Moura. Passou a funcionar anexo ao Colégio Aurora.

As atividades tiveram inicio no dia oito de Junho, foram aproveitados alunos do Colégio Aurora para constituírem a primeira turma. O Sargento Instrutor também lecionava no Colégio, o horário da instrução era das 07:00 ás 11:00 e das 14:00 ás 17:00hs nas sextas e sábados e das 07:00 ás 11:00hs nos domingos.

A Vinte e dois de fevereiro de 1934 o Instrutor Coronel Aristiliano Ramos baixou decreto criando o Município de Caçador, a solenidade oficial de instalação do novo município aconteceu no dia 25 de Março de 1934, consolidava-se assim o sonho da função das vilas Santelmo e Rio Caçador.

Importante destacar que o colégio Aurora, já conhecido como Ginásio Aurora e a Escolas de Instrução Militar nº 354 foram fatores que aceleraram a criação do Município de Caçador, conforme atestam documentos da época.

TIRO-DE-GUERRA Nº 568

Em 1934, a Escola de Instrução Militar nº 354 passou a denominar-se Tiro-de-Guerra nº 568.

O TG estava perfeitamente integrado à comunidade, os atiradores além das atividades normais, realizavam cursos rápidos de coisas úteis para a vida, tidos como educação complementar.

O Tiro-de-Guerra nº 568 funcionou até o ano de 1944. No ano de 1945 foi extinto por decreto do Ministério da Guerra.

TIRO DE GUERRA Nº 172

Período 1946-1967

Reestruturado o Exército após a 2ª Guerra Mundial, a Inspetoria Regional dos Tiros-de-Guerra da 5ª RM criou em Caçador, a 5 de Setembro de 1946, o Tiro de Guerra nº 172. Tiro-de-Guerra foi instalado em sede provisória, casa de madeira onde hoje existe o Estádio Municipal.

Importante destacar que as lideranças caçadorenses mobilizaram-se para a cidade voltar a ter o Tiro-de-Guerra. 

No período de 1947 / 1967 o Tiro-de-Guerra 172 matriculou 1270 (mil duzentos e setenta atiradores). Teve intensa participação em atividades comunitárias, destacando-se as ações cívicas sociais e atividades em datas comemorativas e por ocasiões da semana da pátria.

Em 1965 foram iniciados os trabalhos visando a construção da nova sede, definindo o local, mobilizaram-se autoridades e a comunidade em geral, o objetivo foi alcançado, construída a nova sede, na Rua General Sampaio nº 176 no centro da cidade. Em prédio de madeira, com ampla caserna, pátio de instrução, residência do instrutor, tudo em dependências confortáveis e acolhedoras.

TIRO-DE-GUERRA Nº 05-172

Período 1968-1978

Em 1968 a denominação oficial foi alterada de Tiro-de-Guerra 172 para Tiro-de-Guerra 05-172, os dois primeiros algarismos passaram a identificar a Região Militar à qual pertencem. Também passou a formar a primeira turma de Cabos para a Reserva, até então formava apenas soldados.

O Boletim Regional nº 142, de 29 de Julho de 1968, publicou a suspensão do funcionamento do TG a partir do final do referido ano, em virtude de incidentes provocados por autoridades locais, e de ter deixado de existir as condições normais de funcionamento.

O Tiro-de-Guerra não funcionou em 1969, a destacar que o Boletim Regional nº 234 de 09 de Dezembro de 1969 publicou a reabertura do TG a partir do ano de 1970. 

Em Janeiro de 1970 ocorreu a entrega oficial das instalações do TG. Cinqüenta e dois atiradores foram matriculados e o prefeito Municipal é nomeado Diretor do TG.

Em 1973 foi realizada experiência de formar duas turmas de atiradores, em 1974 o TG voltou a funcionar com turma única de atiradores.

TIRO-DE-GUERRA Nº 05-006

A Portaria Ministerial de 27 de março de 1979, publicada no Boletim Interno da 5ª RM/DE, de 08 de maio de 1979, dá nova numeração aos Tiros-de-Guerra, em Caçador passa a ser o TG 05-006; os dois primeiros números identificam a Região Militar a que pertencem, os três últimos números a respectiva antiguidade na Região Militar.

De 08 de Junho de 1929 a 08 de Junho de 2009 são oitenta anos de presença do Tiro de Guerra na região de Caçador. 

Cumprindo determinação do Escalão Superior, foram matriculados 30 atiradores no ano de 2009.


O TIRO DE GUERRA
 
MISSÃO E SUBORDINAÇÃO

Os Tiros de Guerra são uma experiência brasileira vigente desde o início do século XX, quando, em 7 de setembro de 1902, Antonio Carlos Lopes fundou na cidade de Rio grande-RS uma sociedade de Tiro al Alvo com finalidades militares e eu, depois de 1916, foram impulsionados pela pregação patriótica de Olavo Bilac – Patrono do Serviço Militar – Sendo conseqüência, sobretudo, de um esforço comunitário municipal.

Os tiros de Guerra (TG) Órgãos de Formação da Reserva (OFR) que possibilita a prestação do Serviço Militar inicial, no município sede do TG, dos convocados não incorporados em Organizações Militares da Ativa (OMA) de molde a atender a instrução, conciliando o trabalho e o estudo do cidadão.

Além de propiciar a prestação do serviço militar inicial, os TG devem:
1) Contribuir para estimular a interiorização e evitar o êxodo rural;
2) Constituir-se em pólos difusores de civismo, da cidadania e do patriotismo;
3) Colaborar em atividades complementares, mediante convênio com Órgão Federais, Estaduais e Municipais no funcionamento de ensino profissionalizante em suas dependência e na utilização das mesmas em práticas cívicas, esportivas e sociais em benefício da comunidade local; 
4) Mediante autorização dos Comandantes Militares de Área:
a) atuar na Garantia da Lei e da Ordem e na Defesa Territorial
b) participar na Defesa civil; e 
c) colaborar em projetos de Ação Comunitária.

OBJETIVOS DOS TIROS DE GUERRA

A Instrução dos TG deve ter por objetivo a preparação de:

1. Munícipes conhecedores dos problemas locais, interessados nas aspirações e realizações de sua comunidade e cidadãos integrados na realidade nacional. 

2. Reservistas de 2ª categoria (Combatente Básico da Força Terrestre) aptos a desempenharem tarefas limitadas, na paz e na guerra, nos quadros de Defesa Territorial, Defesa Civil, Defesa Interna e Ação Comunitária, e

3. Líderes democratas, atentos as influencias ideológicas contrárias aos ideais da nacionalidade.
 
PESSOAL E MATERIAL PARA OS TG

Os instrutores, armamento, munição, fardamento e outros materiais julgados necessários a instrução dos TG serão fornecidos pelo Exército. Cabe ‘as prefeituras Municipais, providenciar em tempo oportuno os meios necessários ao pleno funcionamento dos TG, particularmente a liberação pelo Poder Executivo do Município das verbas votadas pelo Poder Legislativo Municipal.
 
O FUTURO

Instituição nacional de raízes profundas e base sólida, o Exército Brasileiro faz-se presente de norte a sul do Brasil. Sob a égide da Lealdade e da Ética, dissemina a bravura, a coragem e honradez de homens e mulheres incansáveis na busca por uma Nação justa, pacífica e soberana. 

Inserido neste contexto, o TG 05.006 esta e estará sempre engajado no grande desafio de bem formar cidadãos brasileiros, militares ou civis, sem abandonar, jamais, o culto aos valores éticos e morais.


 



Comentários (0)


Deixe seu comentário