UFC

Perto do cinturão, Júnior Cigano tem duelo complicado contra camaronês

O catarinense vai precisar vencer o camaronês Francis Ngannou, no próximo dia 29

Ícone do MMA brasileiro e mundial, o catarinense Júnior Cigano, ex-campeão do UFC, está próximo de disputar mais um cinturão na categoria peso-pesado. Porém, para que isso aconteça, o catarinense vai precisar vencer o camaronês Francis Ngannou, no próximo dia 29 de junho, em Minnesota (EUA).


Caçadorense Junior Cigano

Invicto há três lutas e uma das importantes referências do UFC nos dias de hoje quando o assunto é competitividade e emoção, o catarinense tem grande reputação junto às demais estrelas do MMA e aposta na sua maior qualidade para bater o rival camaronês, o boxe.

Grande responsável pela eficiência de Cigano em aplicar nocautes, mesmo sem nunca ter feito uma luta profissional de boxe na carreira, o treinador Luiz Dórea tem importante participação na carreira da catarinense. Foi ele quem aplicou em Cigano a metodologia do boxe olímpico.


Camaronês Francis Ngannou

“Cigano é fruto disso (do método de boxe olímpico). Preparei o Cigano com toda a metodologia do boxe para o MMA e deu certo. Conseguiu ser campeão do mundo sem nunca ter feito uma luta de boxe”, disse o treinador em entrevista para UOL. 

“O Cigano chegou à academia com uns 21 anos, e desenvolveu muito rápido. Disse para ele que deveríamos primeiramente aprender boxe, e aí foi. Rapidamente treinamos toda a técnica, e ele desenvolveu e nocauteou adversários. Ele desenvolveu muito rápido, assimilou as técnicas perfeitamente”, analisa Dórea.

Principais características de Ngannou

Assim como o lutador catarinense, Ngannou é um atleta muito forte fisicamente, com alto poder de nocaute. Em fevereiro deste ano, por exemplo, o camaronês derrotou a lenda Cain Velasquez no primeiro round, aplicando um nocaute no rival em apenas 26 segundos de luta.

No ranking da categoria peso-pesado do UFC, o camaronês aparece na segunda posição, um posto à frente de Cigano. Em uma recente conferência realizada pelo UFC, Ngannou pregou muito respeito ao brasileiro, mesmo estando melhor ranqueado que o mesmo.

“Estou muito feliz por ter a luta contra o Junior. Ele não tem o cinturão, mas todos sabemos que ele é um campeão. Nós temos reparado nele desde que ele voltou, ele parece um campeão”, elogiou Ngannou.

Se no poder de força Cigano e Ngannou são semelhantes, o brasileiro leva vantagem nos quesitos movimentação de pernas e agilidade, além de ser melhor que o oponente na luta de chão. Em caso de necessidade, Cigano não nega que pode se apegar a essas teóricas vantagens para “travar” a luta e anular as principais características do camaronês.

“Sou um lutador de MMA. O carro-chefe é o boxe, mas, uma vez que eu veja a oportunidade de derrubar… Não que eu não tenha tido nas últimas lutas, normalmente eu opto por manter a luta em pé, porque é onde me sinto confortável”, disse o brasileiro em entrevista à Ag. Fight.

 

 

 

“Sou muito mais veloz, minha movimentação é superior também. Então, esse é um aspecto que a gente vai explorar”, concluiu.

Caso consiga vencer Ngannou no dia 29, é muito provável que Cigano seja o desafiante número 1 ao título da divisão, que atualmente está com o norte-americano Daniel Cormier, líder geral do ranking do UFC e invicto há sete lutas.

Em agosto deste ano, Cormier irá defender o título da categoria peso-pesado contra Stipe Miocic. Em caso de vitória, Cormier, que já tem 40 anos, não planeja seguir lutando por muito tempo e seu grande desejo é encerrar a carreira em eventual combate contra Jon Jones, único lutador a derrotá-lo na história do MMA.

“É tudo que quero. Quando eu luto contra o Jon, me sinto melhor preparado para treinar contra o cara que me faz treinar mais forte. Me fazer treinar melhor. Faço tudo certo durante a preparação e acho que, se for para continuar lutando, essa seria a luta a fazer”, disse o veterano em declaração ao programa The Ariel Helwani’s MMA Show.

Essa indefinição de Cormier (sobre continuar no MMA ou não), deixa a categoria do peso-pesado com futuro indefinido. Portanto, mesmo que Cigano vença Ngannou no dia 29 e Cormier garanta a defesa do cinturão de campeão em agosto, não é possível cravar que o brasileiro e o norte-americano se enfrentarão no futuro pelo título da divisão.



Comentários (1)

Cighano

14/06/2019 13:04

O Cigano vai bochar o tchô! Vai dar uma rufa de pau tão grande no tchô que até os netos dele vão nascer tortos!

Deixe seu comentário