Caçador

Idoso que estava desaparecido foi vítima do falso sequestro

Os criminosos exigiram que ele transferisse certa quantia em dinheiro em um banco

O golpe do falso sequestro fez mais uma vítima em Caçador. Assim como na maioria das outras vezes, o crime foi novamente contra um idoso, identificado como Vitorio Mariani, de 80 anos. O homem chegou a ficar desaparecido e deixou a família desesperada, mas ele foi encontrado e passa bem.

Segundo familiares, Vitorio saiu de casa por volta das 21h30 de quinta-feira, 4, e ficou várias horas sem dar qualquer notícia. O sumiço deixou a família preocupada, e foi publicado nas redes sociais um pedido de ajuda para encontrar o homem, o qual foi localizado por amigos, nesta sexta-feira.

Segundo parentes, os criminosos ligaram para o homem dizendo que a filha dele havia sido sequestrada, e ordenaram que ele fosse sozinho até um hotel e aguardasse outra ligação para receber novas instruções, caso contrário matariam a refém.

O idoso, desesperado, concordou com o que os golpistas disseram e ficou hospedado em um hotel. Algum tempo depois, ele recebeu outra ligação dos criminosos, que exigiram que uma certa quantia em dinheiro fosse depositada na conta deles. O idoso foi até o banco, mas não conseguiu fazer a transferência. Os bandidos então pediram para ele tentar novamente no amanhecer do outro dia, e a vítima concordou e voltou para o quarto de hotel. Nesse tempo, Vitorio foi encontrado por amigos e o caso foi repassado à polícia.

O caçadorense Roni Rodrigues de Brito conta uma história semelhante. “Fizeram algo parecido com minha mãe há alguns dias também. Ligaram de madrugada, ela foi na minha casa às 4h da manhã para levá-la na casa da minha irmã para ver se estava tudo bem com ela. Graças a Deus não aconteceu nada. Minha mãe tem 72 anos e parece que estão direcionando o golpe para os idosos. Que pena ter pessoas assim com tamanha crueldade com nossos queridos”, orienta.

Como descobrir que é um golpe, e não um sequestro

Se por acaso receber ligação telefônica ameaçadora narrando sequestro de parente, procure manter a calma para ter condições de identificar a veracidade dos fatos. Preste atenção nas informações abaixo, que são características do famigerado golpe conhecido por disk-sequestro:

1) O marginal não para de ameaçar a vítima e determina a todo o momento que o telefone fixo ou celular não seja desligado em hipótese alguma;

2) A pressa do suposto sequestrador é uma das principais características do falso sequestro por telefone, pois no sequestro “verdadeiro” as quadrilhas especializadas não têm pressa, sabem que os familiares do refém precisarão de tempo para levantar o dinheiro do resgate;

3) O valor solicitado para o resgate é pequeno, em torno de 1 a 10 mil reais ou créditos para telefones celulares pré-pagos;

4) O negociador aceita qualquer quantia e abaixa os valores rapidamente a pedido da vítima;

5) O criminoso não permite que a vítima converse com o suposto sequestrado em hipótese alguma, não fornecendo assim a chamada prova de vida, comum em todo sequestro clássico;

6) Indague ao suposto sequestrador qual foi à hora e local exato que seu parente foi capturado e as vestimentas do refém. Se o bandido não responder à suas indagações, é porque se trata de um golpe e não de um sequestro;

7) As ligações normalmente são a cobrar ou oriundas de outros Estados, como RJ, BA, MG, etc.

8) A vítima deve fazer uma pergunta que somente o parente sequestrado saiba. O criminoso ficará nervoso e alegará que matará a vítima se o valor não for pago, e não responderá a pergunta, caracterizando assim tratar-se de um falso sequestro;

9) No sequestro clássico (verdadeiro), a primeira ligação geralmente é curta onde o sequestrador comunica à família que o parente foi sequestrado, comenta sobre o valor do resgate (sempre alto) e desliga o telefone, voltando a ligar dias depois;

10) O fato de o bandido fornecer uma conta bancária para depósito do dinheiro é um forte indício de golpe e não de sequestro;

11) Qual o interesse que os supostos sequestradores teriam em matar o refém? A experiência policial demonstra que os criminosos não têm interesse em assassinar o refém do sequestro. Muito pelo contrário, a vítima na extorsão mediante sequestro é a galinha dos ovos de ouro dos marginais.

* Orientações são do Dr. Jorge Lordello, especialista em Segurança Pública, pesquisador criminal e escritor.



Comentários (0)


Deixe seu comentário