Fórum

Caçador inicia o Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável

Representantes da sociedade civil, entidades públicas e privadas se reuniram hoje

O primeiro passo para a criação do Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável (PDITS) para o município de Caçador foi dado na tarde da sexta-feira, 19. Representantes da sociedade civil, entidades públicas e privadas estiveram reunidos no 1ª Fórum do Turismo e Planejamento de Desenvolvimento Integrado e Sustentável.

“Queremos que o turismo seja uma engrenagem da nossa economia. Desenvolvido, seja no segmento histórico, cultural, gastronômico, rural, religioso ou industrial. De uma maneira sustentável não só para o meio-ambiente, mas que sustente famílias, que traga resultados financeiros para nossos munícipes”, destaca o vice-prefeito, Alencar Mendes.

Neste primeiro encontro os participantes se reuniram para debater as forças, as oportunidades, as fraquezas e potenciais ameaças ao turismo.

“Este primeiro fórum é muito importante para desenvolvermos de maneira integrada o turismo em nosso município. Com o PDITS elencamos todas as potencialidades e, a partir delas, vamos elaborar ações para o desenvolvimento do turismo local com olhar voltado ao mercado regional”, salienta o secretário de Cultura, Esporte e Turismo de Caçador, Enemir Corozzola.

A promoção do turismo no município de Caçador é uma iniciativa da Prefeitura de Caçador, através de uma parceria com o Sebrae/SC.

“O turismo precisa ser visto como um negócio e estamos dando os primeiros passos para trazermos importantes resultados econômicos para Caçador. Ele impacta em diversos e diferentes setores da economia. Aos poucos vamos fortalecer o segmento através de ações conjuntas com o poder público, iniciativa privada e comunidade para oferecer produtos turísticos, aproveitando dos atrativos potenciais da cidade”, comenta o consultor do Sebrae Roni Rodrigues de Brito.



Comentários (1)

Amarildo

20/07/2019 11:23

Gostaria de saber quem foi o iluminado que inventou esse PDITS, por enquanto acho que podemos identificar apenas as fraquezas. Quando as linhas aéreas estiverem funcionando regularmente no nosso aeroporto, eu acredito que poderemos desenvolver o nosso imenso potencial turístico cultural, gastronômico, industrial, etc. Ajudai-nos minha Nossa Senhora do Céu.

Deixe seu comentário