Caçador

Júri condena réu a 14 anos por ter matado vítima a golpes de facão

A vítima, que tinha 39 anos, foi morta em sua casa no bairro Martello, em 2018

Mais um crime violento foi julgado pelo Tribunal do Júri de Caçador, nesta sexta-feira (9). O réu Valdecir Fonseca, de 23 anos, foi condenado a 14 anos de reclusão por ter matado Maurílio Martins dos Santos. A vítima, que tinha 39 anos, foi morta em sua casa no bairro Martello, no ano passado, com golpes de facão que lhe atingiram o pescoço e o braço.


Réu, à esquerda, foi condenado a 14 anos

O réu preferiu ficar em silêncio no interrogatório. A defesa, representada pela defensora pública Elaine Caroline Masnik alegou a tese de legítima defesa. “Havia provas de que houve uma briga anterior, constatadas através do depoimento da Josiane (esposa da vítima que estava na casa no dia do crime), e também da perícia informando que a vítima estava acordada”, comenta Elaine.

Já a promotora de justiça Danielle Diamante pediu a condenação do réu por homicídio doloso qualificado pelo recurso que dificultou a defesa da vítima. Os jurados reconheceram todas as teses da acusação e condenaram o réu.


Casa onde a vítima foi morta

“O crime foi praticado na presença de uma testemunha, a companheira da vítima, que viu e indicou quem era o autor para polícia, que prendeu o réu e confessou a prática do crime, confirmando que a vítima estava deitada no sofá da casa no momento do ataque”, ressalta a representante do Ministério Público.

Com a condenação aceita pelo Conselho de Sentença, restou ao juiz a fixação da pena. O magistrado Gilberto Kilian dos Anjos explica a dosimetria da pena.

“Ele tinha maus antecedentes, por isso a pena foi aumentada em um sexto. Mas essa reincidência foi compensada com a atenuante de confissão realizada na fase extrajudicial (investigatória). A confissão é importante porque acaba com a incerteza quanto à autoria”, pondera.

Valdecir voltará novamente ao Presídio, onde cumprirá o restante da pena em regime inicialmente fechado. Segundo o Poder Judiciário, esta é a terceira condenação do réu.

Sobre o homicídio

O crime ocorreu no dia 4 de fevereiro do ano passado, por volta das 4h da madrugada, na rua Albino Felipe Potrich. Segundo a acusação, Maurílio estava dormindo no sofá de casa quando foi surpreendido pelo autor, que teria arrombado a porta para entrar na moradia. A vítima foi golpeada com facão no pescoço e nos braços, e morreu ainda no local.

O crime foi descoberto somente pela manhã. Valdecir foi preso no mesmo dia pela Divisão de Investigação Criminal (DIC), da Polícia Civil, que chegou ao suspeito após diligências no local do crime. A prisão ocorreu na casa do acusado, no loteamento Mutirão.

Na fase investigatória, o suspeito admitiu ter desferido o golpe de facão no pescoço vítima, mas em juízo ele preferiu permanecer em silêncio. Valdecir continua preso preventivamente aguardando ser julgado pelo Tribunal do Júri.



Comentários (0)


Deixe seu comentário