Mundo Novo
Educação ambiental
Comentários da matéria Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
Atualizado em  |  24/05/2013 17:53
Perfil
Júlio César Moschetta da Silva
julionatural@yahoo.com.br

Graduado em Engenharia Ambiental, especialista em Educação Ambiental e Gestão de Recursos Hídricos. Atuante em Conselhos Municipais em Caçador, Comitê da Bacia do Rio do Peixe e OnG Gato do Mato. Na coluna Mundo Novo Júlio escreve sobre assuntos ambientais, relacionando o tema com o desenvolvimento humano. Também aborda assuntos de caráter filosófico, abrindo discussão sobre a consciência humana.

   

foto1
clique na foto para ampliar

Este é um setor da educação que a cada dia que passa está sendo mais discutido e trabalhado dentro das escolas de Caçador, tanto no ensino básico, fundamental, médio e superior. Sabemos que segundo o que regulamenta a Constituição Federativa do Brasil de 1988, a Educação Ambiental é obrigatória em todos os níveis de ensino, tanto no ensino formal como no informal. Mas em relação a essa obrigatoriedade, é comum surgirem algumas duvidas!

Quem regulamenta o seu cumprimento?

Qual é a metodologia que deverá ser aplicada em cada caso?

Como podemos avaliar os seus níveis e padrões?

O que é Plano Municipal de Educação Ambiental?

Bem, são ainda muitas outras perguntas que ficam sem resposta e que podemos fazer em relação ao processo de implementação da Educação Ambiental em nosso município e até mesmo em nosso país!

O Brasil é o único país da América Latina que tem uma política nacional de Educação Ambiental, que é a Lei nº 9.795/99 de 27 de abril de 1999. Sem dúvida, foi uma grande conquista para o nosso país, a qual se deu com o sacrifício de centenas de ambientalistas anônimos, funcionários do Ibama, do Ministério do Meio Ambiente e ongueiros, em sua luta diária, nos corredores do Congresso, fazendo lobby e convencendo parlamentares. Mas ainda a muito a fazer e definir para que realmente a coisa funcione.

Uma coisa é certa, no caso da educação formal, poucos professores se empenharam no sentido de buscar novas metodologias de trabalho, ainda são poucos que estão correndo atrás de se atualizar, de complementar a sua matéria em relação a transversalidade da educação ambiental.

Vamos lá pessoal, participar do processo de construção da Educação Ambiental em nosso município e colaborar com o desenvolvimento sustentável de nosso país. Até a próxima matéria.

Eng. Ambiental: Júlio César Moschetta da Silva


03/07/2017 13:46
Hora da Razão
Leila Longo Romão
27/06/2017 09:44
Seis motivos para investir em programas de fidelidade
Leila Longo Romão
12/06/2017 12:02
Líderes multitarefas trazem maior retorno para o varejo
Leila Longo Romão
30/05/2017 09:52
7 fatores que impulsionam o sucesso de um negócio
Leila Longo Romão