Mundo Novo
Consciência Ambiental ou apenas interesses pessoais?
Comentários da matéria Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
Atualizado em  |  02/08/2013 10:05
Perfil
Júlio César Moschetta da Silva
julionatural@yahoo.com.br

Graduado em Engenharia Ambiental, especialista em Educação Ambiental e Gestão de Recursos Hídricos. Atuante em Conselhos Municipais em Caçador, Comitê da Bacia do Rio do Peixe e OnG Gato do Mato. Na coluna Mundo Novo Júlio escreve sobre assuntos ambientais, relacionando o tema com o desenvolvimento humano. Também aborda assuntos de caráter filosófico, abrindo discussão sobre a consciência humana.

Quando se fala em consciência ambiental, pode-se afirmar que esta deu um grande salto positivo em todo mundo, talvez seja porque todos começaram a sentir na pele os efeitos do desrespeito com a natureza, muito comum entre nossos antepassados! Ou talvez este desrespeito esteja ainda mais presente do que se pensa...

Hoje, fala-se muito em ecologia, mas será que os sensacionalistas realmente cumprem o que tanto falam? Pois é, penso que a resposta ainda é NÃO! Infelizmente, ainda, muitas entidades governamentais ou mesmo privadas, utilizam dos temas ambientais para se promover e promover o seu marketing de entidades legais, ou para dar uma visão ilusória de transparência para a comunidade em geral.

Temos que lembrar que não são somente as entidades governamentais e privadas que utilizam destes meios politiqueiros e sem moral para se promover e garantir os seus maiores lucros, mas também existem algumas ONGs que acabam utilizando esta temática ambiental para atingir suas metas errôneas.

A coisa toda está muito complicada, enquanto pessoas ou profissionais despreparados, interesseiros e inconscientes, continuarem a utilizar do marketing ambiental para esconder os seus crimes ao nosso meio, como quem varre a sujeira para debaixo do tapete, as catástrofes ambientais vão continuar acontecendo.

Sinto-me enojado ao ver algumas empresas utilizarem da lábia ambiental, para vender os seus produtos ou apenas para retardar o trabalho da fiscalização, enganando assim a todos. Será que pensam que a mentira não tem perna curta? Ou apenas que o povo é ignorante e acomodado; e nunca vai se importar com isso. Mas eu acredito que para tudo tem um fim, também para estas pessoas retrógadas e insensíveis, ou até mesmo para o MEIO AMBIENTE como a gente conhece hoje!

Quero acreditar que estas visões tendem a acabar à medida que entra pessoas novas no poder, que o povo começa a tomar consciência da realidade e resolve agir contra estes poucos coronéis da hipocrisia humana.  Mas para tudo isso terminar, o primeiro passo é utilizar da mídia e dos instrumentos educacionais, a fim de desmascarar o ego pessoal de cada um e ainda realizar uma verdadeira lavagem cultural em nosso povo, implantando novas perspectivas e estímulos que deveram fazer de cada um parte de um todo e do todo, o nosso MEIO AMBIENTE.

Eng. Ambiental: Júlio César Moschetta da Silva


02/03/2017 17:06
Tudo é aprendível
Márcio Roberto Goes
02/03/2017 14:52
Conheça 16 tendências para o atendimento no varejo
Leila Longo Romão
21/02/2017 11:06
A vida é massa!
Márcio Roberto Goes
11/01/2017 19:33
Seis dicas de planejamento de metas para 2017
Leila Longo Romão
11/01/2017 19:31
A volta ao varejo personalizado de nossos avós
Leila Longo Romão