Mundo Novo
A importância do silêncio na relação (E. Toller)
Comentários da matéria Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
Atualizado em  |  27/11/2014 15:09
Perfil
Júlio César Moschetta da Silva
julionatural@yahoo.com.br

Graduado em Engenharia Ambiental, especialista em Educação Ambiental e Gestão de Recursos Hídricos. Atuante em Conselhos Municipais em Caçador, Comitê da Bacia do Rio do Peixe e OnG Gato do Mato. Na coluna Mundo Novo Júlio escreve sobre assuntos ambientais, relacionando o tema com o desenvolvimento humano. Também aborda assuntos de caráter filosófico, abrindo discussão sobre a consciência humana.

A maioria dos relacionamentos humanos se restringe à troca de palavras – o reino do pensamento. É fundamental trazer um pouco de silêncio e calma, sobretudo aos seus relacionamentos íntimos.

Nenhum relacionamento pode existir sem a sensação de espaço que vem com o silêncio e a calma. Meditar ou passar um tempo juntos, em silêncio, na natureza, por exemplo.

Se as duas pessoas forem caminhar, ou mesmo se ficarem sentadas uma ao lado da outra no carro ou em casa, elas irão se sentir bem por estarem juntas, em silêncio e na calma.

Nem o silêncio nem a calma precisam ser criados.

Eles já estão presentes, embora perturbados e obscurecidos pelo barulho da mente. Basta abrir-se para eles.

Se falta um espaço de silêncio e calma, o relacionamento será dominado pela mente e correrá o risco de ser invadido por problemas e conflitos. Se há silêncio e calma, eles se tornam capazes de dominar qualquer coisa.

Ouvir com verdadeira atenção é outra forma de trazer calma ao relacionamento. Quando você realmente ouve o que o outro tem a dizer, a calma surge e se torna parte essencial do relacionamento.

Mas ouvir com atenção é uma habilidade rara. Em geral, as pessoas concentram a maior parte de sua atenção no que estão pensando. Na melhor das hipóteses ficam avaliando as palavras do outro ou apenas usam o que o outro diz para falar de suas próprias experiências. Ou então não ouvem nada, pois estão perdidas nos próprios pensamentos. Ouvir com atenção é muito mais do que escutar.
Ouvir com atenção é estar alerta, é abrir um espaço em que as palavras são acolhidas.

As palavras se tornam então secundárias, podendo ou não fazer sentido.

Bem mais importante do que aquilo que você está ouvindo é o ato em si de ouvir, o espaço de presença consciente que surge à medida que você ouve. Esse espaço é um campo unificador feito de atenção em que você encontra a outra pessoa sem as barreiras separadoras criadas pelos conceitos do pensamento.

A outra pessoa deixa de ser o “outro”. Nesse espaço, você e ela se tornam uma só consciência.


Texto de: Eckhart Tolle


02/03/2017 17:06
Tudo é aprendível
Márcio Roberto Goes
02/03/2017 14:52
Conheça 16 tendências para o atendimento no varejo
Leila Longo Romão
21/02/2017 11:06
A vida é massa!
Márcio Roberto Goes
11/01/2017 19:33
Seis dicas de planejamento de metas para 2017
Leila Longo Romão
11/01/2017 19:31
A volta ao varejo personalizado de nossos avós
Leila Longo Romão