Mundo Novo
Radiestesia e a Saúde Humana
Comentários da matéria Diminuir o tamanho da letraAumentar o tamanho da letra
Atualizado em  |  06/09/2016 13:43
Perfil
Júlio César Moschetta da Silva
julionatural@yahoo.com.br

Graduado em Engenharia Ambiental, especialista em Educação Ambiental e Gestão de Recursos Hídricos. Atuante em Conselhos Municipais em Caçador, Comitê da Bacia do Rio do Peixe e OnG Gato do Mato. Na coluna Mundo Novo Júlio escreve sobre assuntos ambientais, relacionando o tema com o desenvolvimento humano. Também aborda assuntos de caráter filosófico, abrindo discussão sobre a consciência humana.

A RADIESTESIA é a ciência que detecta e mede energias sutis através dos instrumentos radiestésicos. Essa capacidade radiestésica se consiste em uma faculdade supra sensorial (subconsciente) inerente à todos os seres humanos, que permite a captação de energias sutis através do corpo humano (radius = radiação // aisthesis = sensibilidade).

O corpo humano sabe; sua sabedoria está baseada não só na perfeição da máquina humana, como também na ligação do subconsciente humano com o inconsciente coletivo, também chamado de mente universal, inteligência infinita, etc, que possui todas as respostas, por ser coletivo.

A radiestesia é praticada à milhares de anos, sendo muito conhecida e utilizada pelos Gregos, Romanos, Chineses e Egípcios.

Teve um grande número de adeptos na renascença, mas é a partir de 1798, com o início do uso do pêndulo, que sua prática se generaliza. No Brasil, seu marco inicial é o trabalho do padre Jean Louis Bourdoux na cidade de Poconé (MT) e o livro "Noções práticas de radiestesia para os missionários", escrito pelo padre Alexis Mermet, que foi o criador da radiestesia médica (ele é considerado, até hoje, o "príncipe dos radiestesistas").

O padre Mermet difundiu o uso da radiestesia na área da saúde humana, o mesmo usava de um pêndulo para identificar causas de doenças ou mesmo um distúrbio antes mesmo que este se manifesta-se no corpo físico.

Hoje, diversos terapeutas usam da radiestesia para tratar ou mesmo para identificar desequilíbrios físicos, psíquicos e emocionais, fazendo uso de diversas técnicas e instrumentos radiestésicos como: Pêndulo, Dual Rod, Auramiter, Forquilha, Mesa Radiestésica, entre muitos outros.

Uma área importante da radiestesia no tratamento da saúde, está relacionada a radiônica, que nada mais é do que a emissão de ondas de cura feitas por meio de gráficos e figuras radiônicas. Outra forma de usar a pesquisa de radiestesia para a promoção da saúde humana, é por meio da união de diversas técnicas de terapias alternativas de cura, como: Aromaterapia, Auriculoterapia, Acupuntura, Cromoterapia, Cristais, Reiki e outras.

Quando se trata do uso da radiestesia na cura de pessoas, podemos dizer que independente do método, o trabalho se baseia por meio de uma larga pesquisa referente a situação energética deste indivíduo. Onde poderá ser analisado a intensidade vibracional dos Chakras, bem como de órgãos, glândulas e sistemas do corpo humano. E tendo como base estas informações, propor as melhores técnicas de tratamento e cura para cada pessoa individualmente. Neste contesto, um dos melhores instrumentos de pesquisa da radiestesia para o desenvolvimento da cura, é a “Mesa Radiestésica”, sendo que esta dispõe de uma larga variedade de critérios de pesquisa e ao mesmo tempo “emissão de ondas de cura a distância”.

Maiores informações sobre o assunto estão sendo largamente divulgados nos meios de comunicação nos dias de hoje e aqui em Caçador podemos saber mais sobre este assunto ou mesmo conhecer pessoalmente as técnicas, junto ao Centro de Terapias Alternativas “Luz da Alvorada” ou por meio do Facebook “Reiki Radiônico”.

Um grande abraço a todos e até a próxima matéria. Gratidão


07/04/2017 10:09
Cinco técnicas para alavancar o consumo em sua loja
Leila Longo Romão
07/04/2017 10:07
O errado é o outro
Márcio Roberto Goes
28/03/2017 10:22
Afinal, gerente precisa ser vendedor?
Leila Longo Romão
02/03/2017 17:06
Tudo é aprendível
Márcio Roberto Goes
02/03/2017 14:52
Conheça 16 tendências para o atendimento no varejo
Leila Longo Romão