Termômetro do Varejo

Como reduzir custos na empresa sem promover demissões


Termômetro do varejo 175

Como reduzir custos na empresa sem promover demissões

 

Enxugar custos. Em um cenário econômico não muito favorável, empresários e executivos procuram otimizar gastos para melhorar a saúde de pequenas, médias e grandes empresas. “Infelizmente, muitos vêm as demissões como a única maneira de cortar despesas, mas existem muitos outros itens, não explícitos, que ajudam a melhorar o fluxo de caixa sem necessariamente reduzir o quadro de funcionários”, explica Fernando Macedo, especialista em redução de custos.

O especialista ensina como diminuir os custos desnecessários que muitas vezes comprometem a lucratividade das empresa.

Telecomunicações – é impossível qualquer empresa operar seu negócio sem se comunicar. Atualmente a telefonia fixa tem tido cada vez menos influência, mas a telefonia móvel e utilização de dados vem crescendo vertiginosamente. É importante avaliar o perfil ideal para cada empresa, verificar tarifas e oportunidades, porém principalmente estabelecer política de uso;

Infraestrutura – energia elétrica e água são as principais vilãs do desperdício, ou seja, deve-se conscientizar e incentivar usos indevidos, vazamentos e desleixo muitas vezes despercebido. Outros itens, como aluguéis, leasing, gás, contratos de manutenção, da mesma forma podem esconder ineficiências;

Serviços terceirizados – nem sempre as empresas realizam revisões periódicas nos termos de consumo, tarifas e produtividade. Principalmente os contratos firmados em momentos de operação regular tendem a não estar equilibrados nos momentos de crise;

Reprografia/impressos – itens de baixo valor unitário usualmente não recebem muita atenção, por isso é importante entender as verdadeiras necessidades. Uma simples compra de papelaria desnecessária pode acumular milhares de reais ao longo dos anos.

Custos financeiros – nos momentos de crise a necessidade de capital de giro e das instituições financeiras acaba aumentando, cuidado com as armadilhas de juros, tarifas e garantias.

 

Fonte: Portal Newtrade


Leila Longo Romão

Graduada em Administração, com pós-graduação em Marketing e Vendas. Iniciou sua vida profissional como bancária do antigo Bamerindus, também atuou como professora e desde 1991 é empresária do ramo de confecções, na área industrial e lojista. Foi presidente da CDL Caçador durante quatro anos e atualmente é presidente distrital da FCDL/SC. A coluna Termômetro do Varejo traz análises de pesquisas do setor, além de orientação para os empresários lojistas, comerciantes e comerciários em geral.

leilaromao@conection.com.br